Primeira mão

240,7 milhões

De toneladas de grãos. Eis a safra brasileira da temporada 2018/19, segundo a Conab. A maior, até hoje, na agricultura brasileira. Ou 2,9 milhões de toneladas superior à então recorde, de 2016/17. E 13 milhões de toneladas a mais que o obtido na safra 2017/18, ou expansão de 5,7%, numa área de 62,9 milhões de hectares (+1,9%). E o milho de segunda safra foi o causador do resultado histórico, ao contribuir com 72,4 milhões de toneladas, incremento de 34,2% sobre o seu desempenho anterior, enquanto o cereal de primeira safra foi de 26,2 milhões de toneladas (-2,5%). Já o algodão teve um boom de área de 32,9%


300 milhões

De toneladas de grãos. Eis a safra brasileira... 2028/29! Os números compõem o estudo Projeções do Agronegócio, Brasil 2018/19 a 2028/29, elaborado pela Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, e da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas, da Embrapa. O volume representa 62,8 milhões de toneladas a mais – ou +27% – sobre a recente safra 2018/19, de 236,7 milhões. O crescimento médio anual deverá ser de 2,4%, e a produtividade, de 2,98% a cada ano.


Crédito: +9%

A contratação de crédito rural na safra 2018/19 (entre os meses de junho) somou R$ 176 bilhões, ou 9% a mais que no ciclo anterior. Os recursos foram disponibilizados nas modalidades custeio, investimento, agroindustrialização e comercialização. O custeio foi ampliado em 7%, para R$ 99 bilhões, praticamente um quarto desse montante para os produtores médios (via Pronamp), enquanto os investimentos demandaram R$ 43,63 bilhões (+9%). Na modalidade investimento, destaque para o Moderfrota (aquisição de máquinas e implementos), com R$ 8,8 bilhões (+17%), ao Moderagro, para modernização e expansão da setores agropecuários, com R$ 857 milhões (+26%), e ao PCA, construção e ampliação de armazéns, R$ 1,1 bilhão (+25%).


Parabéns, OCB!

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!