O Segredo de quem faz

A vitória da AgriculturA do cApricho

O

Quais são os segredos de um campeão? Ou como explicar a produtividade de 123,88 sacas de soja por hectare obtida pelo gaúcho de Cruz Alta Maurício de Bortoli – vencedor, junto com o irmão Eduardo, da 11ª edição do Desafio Cesb de Máxima Produtividade de Soja, concurso promovido pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb) e que mobilizou, neste ano, mais de 4 mil produtores? A explicação é simples: “A principal dica ou conselho que eu quero deixar para os demais produtores do Rio Grande do Sul e do nosso País é que temos que fazer o básico bem feito. O que é o ‘básico bem feito’? Chama-se ‘agricultura do capricho’”. A descrição dessa agricultura está a seguir, na entrevista de Bortoli, que é engenheiro-agrônomo e cultiva 10 mil hectares em nove fazendas no Estado, metade em área arrendada. O concurso se divide nas categorias Sequeiro e Irrigado, e ele foi o campeão geral, além de ter sido primeiro, segundo e terceiro colocado na Irrigado.

Leandro Mariani Mittmann
[email protected]

A Granja – O que você fez de diferente, de excepcional para conquistar uma premiação tão importante?

Maurício de Bortoli – Na verdade, não teve nada de excepcional. Uma lavoura para ser campeã de um Desafio Cesb é uma lavoura construída ao longo dos anos. Ela é pensada em Agronomia pura e aplicada, ou seja, pega todos os conceitos da fertilidade, da rotação de culturas, da conservação de solos e aplica isso. Por quê? Porque para construir um ambiente campeão tem que condicionar todo seu solo a um sistema equilibrado, para que não falte nenhum tipo de nutriente para a planta, porque as raízes da planta exploram o solo, e esse solo tem que estar todo equilibrado p...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!