Agrobalsas

Feira expõe o melhor do agro do MATOPIA

A AgroBalsas, em sua 17ª edição, destacou, em Balsas/MA, em maio, a valorização da agropecuária dos estados de Maranhão, Tocantins e Piauí (Matopi) e, entre as atrações, premiou as mulheres pioneiras da região

A 17ª edição da feira AgroBalsas, a maior feira de agronegócio do Maranhão, realizada no mês passado, em Balsas/MA, teve como tema a valorização territorial do Matopi (Maranhão, Tocantins e Piauí) para a produção de alimentos com conservação do cerrado. A promoção do evento realizado na Fazenda Sol Nascente foi da Fundação de Apoio à Pesquisa do Corredor de Exportação Norte (Fapcen). A AgroBalsas difere das demais feiras agrícolas pela maior movimentação de público à noite, visto o calor intenso durante o dia, e, após o sol se pôr, é o período em que os visitantes são recebidos nos estandes de máquinas e implementos. Durante o dia, foram realizados mais de uma dúzia de palestras, que levaram ao produtor do Meio-Norte maranhense informações e atualizações de processos necessários para conduzir a propriedade rural para a maior rentabilidade, mais segurança alimentar e melhores práticas agrícolas e pecuárias, além da conservação do bioma e a preocupação com a sustentabilidade ambiental. Foram mais de uma centena de estandes e 30% dos expositores de estados diferentes.

Agrobalsas

Agrobalsas se difere das demais feiras agrícolas pela maior movimentação de público à noite, visto o calor intenso durante o dia, período em que são realizadas palestras

Na edição da AgroBalsas deste ano, a inovação foi apresentada também da Secretaria Estadual de Indústria e Comércio do Maranhão (Seinc), no pavilhão Espaço de Negócios Seinc, espaço que possibilitou aos produto-res locais expor seus produtos, como derivados de mel, coco, azeites e ou-tros gerados na região. A presença da pecuária também foi novidade neste ano, exposição de caprinos e ovinos das raças Santa Inês PO, buscando incentivar novos criadores a aumentar a oferta de carne, além de ficarem de olho na alta gastronomia e ainda focar nos mercados internacionais em razão da futura instalação de frigorífico nas proximidades de Balsas.

A Embrapa Meio-Norte, por meio do pesquisador Henri-que Antunes de Souza, apresentou o aplicativo gratuito Nutri Meio- -Norte, que possui ban-co de dados de cultiva-res de soja da região do Maranhão e do Piauí, um ambiente de cultivo distinto daqueles do Centro-Sul do Brasil. Disponível para sis-temas iOS e Android, o Nutri Meio-Norte possibilita a análise de tecido vegetal das plantas e mostra a variação do balanço nutricional da lavoura. Dessa forma, permite ao agricultor saber, pela análise foliar, os macro e micronutrientes que estão presentes em excesso na plantação, ou em deficiência. O diagnóstico auxilia no manejo da adubação e, portanto, na melhor produtividade da lavoura.

Agrobalsas

Da esq. para a dir., Therezinha Sandri, Eunice Honaiser, Elizabeth Hoffmann Los e Heda Fucina receberam a premiação Troféu Semeadora do Cerrado no Nordeste do BrasilJeferson

Destaque na feira também para o Sindicato dos Servidores de Fisca-lização Agropecuária (Sinfa) que, em parceria com Ministério Público, promoveu o 1º Fórum Estadual da Qualidade de Produtos Vegetal. O engenheiro-agrônomo e fiscal Diego Amaral comentou sobre as discussões da presença de agrotóxicos nos alimen-tos, o trabalho com defensivos dentro da propriedade rural e sobre o nível de resíduos de glifosato nos grãos da soja para evitar alterações além do padrão permitido pela Organização Mundial de Saúde, o que impacta diretamente na exportação. A questão da segurança pública também esteve em pauta, e se abordou a implantação de patrulha rural via parceria público-privada. Ainda se buscou entender temas como o problema que aflige os produtores da região, os produtos contrabandeados do Paraguai e os falsificados, e tam-bém do roubo de máquinas e insumos nas propriedades. Entre os objetivos, esclarecer aos produtores que crimes cometem aqueles que adquirem pro-dutos contrabandeados.

Palestra e mulheres homenagea-das – Com o tema Desafio do Agro49negócio, o consultor e palestrante José Luiz Tejon fez a sua primeira palestra na AgroBalsas e disse ter ficado ma-ravilhado com o modelo proposto pela Fapcen, que tem como gestora e su-perintendente a engenheira-agrônoma Gisela Intronvini, uma entusiasta da agricultura sustentável. Ela conduz, de forma compartilhada, todas as ativida-des da feira, já consolidada como um grande evento da região. Com comidas típicas, shows e palestras técnicas para uma comunidade carente de eventos, a AgroBalsas representa o maior e mais importante evento para o produtor rural da região.

O valor da mulher no agro levou a homenagens a produtoras pioneiras na região, que trocaram os estados do Sul do Brasil pelo Maranhão há mais de 30 anos e que, hoje, são protagonistas em fazendas de alta produtividade de grãos. Quatro representantes delas receberam o Troféu Semeadora do Cer-rado no Nordeste do Brasil das mãos de integrantes da Mulheres AgroOu-ro, associação com foco na mulher do agronegócio, entidade que possui logomarca, uniforme, missão e visão definidas, e que, durante a AgroBalsas, busca a adesão de novas associadas. As premiadas foram Therezinha Bertão Sandri, Eunice Maria Kraemer Ho-naiser, Elizabeth Lina Hoffmann Los e Heda Luzia Braun Fucina.

A AgroBalsas também tem um viés social, ao abrir espaço para agricultura familiar no Pavilhão de Artesanato Matopi, que recebeu caravanas de estudantes dos ensinos fundamental e médio de escolas públicas e particu-lares. Já no projeto Fazendo Arte foi lançada campanha Doe um Brinquedo e Ganhe um Sorriso, cuja arrecadação será doada a alunos das oficinas de capacitação. Ainda foi realizado o projeto de recreação Viva a Vida, com gincanas educativas e o Workshop Cul-tural e Sustentável, e a primeira edição da mostra científica AgroBalsas, que demonstrou o impacto ambiental e a degradação da natureza em ilhas de vitrines vivas, para alertar aos visi-tantes sobre o resultado de atitudes não sustentáveis, chamando a atenção para o uso consciente da água em toda a cadeia. Ocorreu, também, a primeira participação de duas comunidades quilombolas, que apresentaram seus trabalhos, produtos e alimentos e co-midas típicas da região, e ainda houve arrecadação de fundos para as famílias dessas comunidades.