Fitossanidade

Aeronaves remotamente pilotadas: usos na sanidade

Fitossanidade

Os veículos aéreos não-tripulados (Vant) são habilitados a realizar a diversas atividades na lavoura, como fazer o mapeamento de estresse hídrico, acompanhar o desenvolvimento das culturas como apoio para manter o controle de pragas e doenças

MSc. Matheus Oliveira Alves, professor na Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu), Dr. Ricardo Vicente Ferreira, Professor Adjunto na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM); e Drs. Ricardo Luís Barbosa e Dr. Rodrigo Bezerra de Araújo Gallis, professores adjuntos na Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

As ferramentas da agricultura de precisão (AP) buscam melhorar a eficiência no campo, permitindo assim aumentar a rapidez na tomada de decisão. Segundo Manzatto et al. (1999), a AP como é denominada no Brasil é um conjunto de sistemas e tecnologias que visam monitorar o campo metro a metro. No atual cenário de intensas transformações e inovações tecnológicas voltadas à agricultura, as aeronaves remotamente pilotadas (RPA em inglês) possuem grande importância no mapeamento de grandes extensões de áreas produtivas. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), as aeronaves remotamente pilotadas são veículos aéreos não-tripulados (Vant), onde um piloto remoto é responsável pelo voo seguro dessa aeronave. Esse termo Vant é reconhecido mundialmente e está associado a uma enorme diversidade de aeronaves, como as autônomas, e as semiautônomas ou remotamente operadas.

Atualmente o termo drone também é amplamente empregado para se referir aos Vants, só que essa denominação está associada aos Vants multirrotores. E o interesse nessas aeronaves tem crescido ao redor do mundo, devido aos avanços recentes na tecnologia da informação e ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!