Startups

Como as agteChs estão ajudando o agronegócio

Startups

As startups do agronegócio – as agtechs – não são mais o futuro, mas sim uma realidade, em expansão e com efeitos práticos e positivos ao setor. Destaque ao chamado Vale do Silício do Agronegócio Brasileiro, em Piracicaba/SP, com mais de 120 startups voltadas ao mundo agro

Juliana Chini, Líder de Inteligência de Marketing na @Tech/Futurista no @beAnimalsHub

A startup agtech é uma das grandes novidades do agronegócio nos últimos anos e que tem trazido o que há de mais tecnológico no mundo para as fazendas brasileiras. Uma startup é uma empresa necessariamente tem um modelo de negócios escalável para milhares ou milhões de clientes e que possa ser repetível, ou seja, seu produto ou serviço pode ser entregue para todos os clientes sem a necessidade de customização. Este tipo de empresa também precisa oferecer uma proposta inovadora e, devido ao elevado número de clientes, seus produtos e serviços são desenvolvidos com uso de tecnologias e geralmente possuem metas globais. O termo “agtech” se refere às startups ligadas a inovações focadas no setor, sendo “ag” de “agribusiness”, cuja tradução é agronegócio, e “tech” é a tecnologia. Em outras áreas, há as “fintechs” (startups de tecnologia para finanças), as “edutechs” (startups de educação) e as “foodtechs”, por exemplo.

No caso do agronegócio, as tecnologias criam produtos e serviços baseados em software ou hardware. O software pode ser um programa, plataforma ou aplicativo, que geralmente é desenvolvido para computadores, celulares, tablets. Já o hardware consiste em um equipamento físico, como um chip, um drone ou uma câmera para monitoramento de animais, por exemplo. Os softwares estão ajudando a melhorar a administração das fazendas, que...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!