Glauber em Campo

POTENCIALIZAR O AGRO: DA INFRAESTRUTURA À AGREGAÇÃO DE VALOR

Glauber

GLAUBER SILVEIRA

A questão, neste início de 2019, é a seguinte: qual a importância de discutir um assunto assim neste momento, no qual novos governos – estaduais e federal – estão chegando? A logística é e será sempre um grande desafio para qualquer país exportador. Mesmo os EUA, que têm uma logística excelente, a todo momento, falam na necessidade de se investir mais. Aqui, no Brasil, entra e sai Governo, e a pauta tem sido a mesma, a logística, que, infelizmente, pouco avança. Sempre que muda o Governo, as expectativas são renovadas. Com o atual não é diferente. Estamos buscando avançar neste sentido, e o Governo dá sinais de boa vontade, mas, infelizmente, o Brasil esbarra nos recursos, pois, quando se quer fazer, falta dinheiro.

O Brasil é um país que tem crescido baseado nas exportações. Mas, segundo dados do Ministério do Transporte, ao contrário de outros países exportadores que fazem parte do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o País é o que menos investe em transportes: apenas 0,42% do seu PIB, enquanto a China investe 10,6%; a Índia, 8%; e a Rússia, 7%. O Departamento de Competitividade e Tecnologia da Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp) apontou que a situação caótica de portos e estradas impõe perdas anuais de US$ 4 bilhões à agricultura e de US$ 17 bilhões à indústria. No total, o Brasil tem um prejuízo de US$ 23 bilhões!

O problema é agravado pela nossa matriz de transporte, composta por 61% de rodovias, 21% de ferrovias e 14% de hidrovias. Temos que mudar esta matriz. Ao menos 60% dela tem que ser ancorada em ferrovias e hidrovias. Essa mudança ajudaria a cortar em 41% o consumo de combustíveis fósseis. Para transportar um...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!