Agrishow

OTIMISMO além dos negócios

Agrishow

A expectativa para a 26ª edição da Agrishow é de ambiente positivo para investimentos e para a apresentação de tecnologias que beneficiam o trabalho do produtor. A feira de Ribeirão Preto/SP será realizada entre os dias 29 de abril e 3 de maio

Oambiente é de expectativas positivas às vésperas da Agrishow, a grande exposição do agronegócio realizada anualmente em Ribeirão Preto/SP. A 26ª edição da Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação ocorrerá entre os dias 29 de abril e 3 de maio com projeção de público em torno de 150 mil pessoas. Mais de 800 marcas do Brasil e do exterior estarão presentes numa área que passou de 440 mil m², no ano passado, para 520 mil m² em 2019. A perspectiva é de um incremento entre 8% e 10% no volume de negócios em comparação com a edição de 2018, quando as vendas alcançaram R$ 2,7 bilhões, superando em 22,7% a mostra de 2017.

O nível de confiança mais alto dos empreendedores do setor e a maior segurança para os investimentos poderão alavancar a comercialização a ser efetivada e encaminhada durante a feira, analisa o presidente da Agrishow e vice-presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Francisco Matturro. “É um ambiente de relativa previsibilidade. A safra tem resultado positivo, o contexto político é favorável, e a produtividade no campo vem crescendo”, salienta. Mais do que o volume de vendas, a Agrishow representa uma “universidade a céu aberto”, como define o dirigente. “O momento é de lançamento de tecnologias e de oportunidade para o produtor colocar a mão no equipamento e conversar com os engenheiros responsáveis pelas inovações”, acrescenta.

A edição de 2019 acontecerá em um momento de grandes expectativas em relação ao desenvolvimento nacional e à esperança de um Brasil mais pujante, avalia o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), João Carlos Marchesan. O executivo ainda destaca o cenário positivo das vendas de equipamentos agrícolas e cita que a Abimaq espera um crescimento de 10% para a comercialização do setor em 2019. A chamada agricultura 4.0 deverá ser um dos destaques da Agrishow deste ano. Atenta às demandas nesta área, a Abimaq apresentará o Banco de Dados Colaborativo do Agricultor (BDCA), iniciativa que tem o propósito de integração dos dados gerados por equipamentos e sensores de todos os fabricantes, sendo que a liberação do acesso aos dados é autorizada pelo produtor.

Modernização no campo — O vice-presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Alfredo Miguel Neto, considera a Agrishow uma grande chance das indústrias se aproximarem dos clientes. Também otimista com relação às vendas durante a feira, ele constata que os produtores estão conscientes da importância da atualização tecnológica para o incremento da produtividade. “Cada vez ganham mais destaque a conectividade e as inovações capazes de reduzir os custos nas propriedades”, observa.

Agrishow

Francisco Matturro, presidente da Agrishow: feira é oportunidade para o produtor conversar com os engenheiros responsáveis pelas inovações

A Anfavea, que representa grandes fabricantes de tratores e colheitadeiras, registrou, no primeiro bimestre deste ano, a comercialização de 5,5 mil unidades no País, número 38,4% acima do contabilizado no mesmo período de 2018. A perspectiva inicial para os negócios ao longo do ano era de um incremento de 10,9%, para 53 mil unidades. “Pelo apetite que estamos vendo no setor, deveremos revisar para cima a nossa projeção”, revela o executivo.

Por enquanto, uma das incertezas para a mostra de Ribeirão Preto está relacionada à oferta de crédito para a aquisição de máquinas agrícolas. A indústria solicitou um reforço de recursos de R$ 2,5 bilhões para o Moderfrota ainda como parte do Plano Agrícola e Pecuário em vigor. Em março, durante a Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque/RS, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, sinalizou a possibilidade de o Governo alocar uma verba extra ao programa, já que o setor produtivo alega que o valor restante da última safra não será suficiente até o final do ciclo, em 30 de junho. “O elo financeiro é um insumo determinante para o bom desempenho da cadeia. Acreditamos que esse ajuste poderá ocorrer, porque há um alinhamento importante entre o setor e o Governo”, assinala Matturro.

Atrações diversificadas — A Agrishow é promovida pela Abag, pela Abimaq, pela Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), pela Federação da Agricultura e da Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) e pela Sociedade Rural Brasileira (SRB), e organizada pela Informa Exhibitions. Os promotores garantem atrações inovadoras e diversificadas para este ano. Uma das novidades de 2019 será o retorno das empresas produtoras de sementes, fertilizantes e defensivos, além de áreas de exposição voltadas à cadeia de frutas e hortigranjeiros. “Será o começo de uma retomada. O objetivo da Agrishow é ser uma feira completa, e, por isso, estamos agregando esses expositores”, argumenta Matturro. A feira terá, ainda, o fortalecimento do espaço destinado às startups, chamado de Arena de Inovação. Outras atrações serão a Arena de Demonstrações de Campo, a Arena de Conhecimento, o palco de apresentações de novas tecnologias e tendências, e a Arena do Produtor Artesanal, que vai reunir a cadeia de produção de alguns segmentos, ressaltando o valor agregado do produto final.

Agrishow