Seed Point

SEED POINT O MUNDO DA SEMENTE

O indispensável TRATAMENTO de sementes em milho

O grão do cereal, rico em nutrientes e energia, é bastante atrativo para patógenos, e, portanto, o tratamento das sementes é estratégico para sua proteção nas fases iniciais de germinação e emergência, e até para as seguintes. Importante: o custo é mínimo

Dagma Dionisia da Silva, Luciano Viana Cota e Rodrigo Véras da Costa, pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo

Asemente é o investimento mais precioso do produtor, sendo sua qualidade e sanidade determinantes para uma boa germinação e emergência, e, consequentemente, para a produtividade dos grãos. Sendo assim, esse bem deve ser protegido de todas as ameaças, desde o armazenamento pelas empresas produtoras de sementes até posteriormente, já nas mãos do produtor, quando elas irão “enfrentar o mundo”, onde várias ameaças estão presentes. Os patógenos (fungos e bactérias, principalmente) estão entre as ameaças importantes, por se utilizarem das sementes como fonte de sobrevivência, transporte e alimentação. A semente protegida atrasa e limita o ataque dos patógenos, incluindo os nematoides, e reduz as chances de entrada de novos patógenos em áreas onde estão ausentes.

O milho, rico em nutrientes e energia, é uma das culturas mais atrativas para patógenos. Os principais em sementes de milho são Fusarium sp., Colletotrichum graminicola, Bipolaris maydis, Exserohilum turcicum, Stenocarpella maydis, S. macrospora, Penicillium sp. e Aspergillus sp. Eles causam apodrecimento, mofamento e deterioração dos grãos, afetando a sua qualidade, a germinação e o vigor das plantas. As sementes de milho emergem rapidamente nos casos em que os solos apresentam disponibilidade de água e temperatura adequada. No entanto, se essas condições não são satisfeitas, as sementes permanecem no solo até que haja condições favoráveis para iniciar o processo de germinaçã...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!