Glauber em Campo

OS DESAFIOS DO AGRONEGÓCIO EM 2019 E NOS ANOS SEGUINTES

Glauber

Poucas pessoas param para pensar ou compreender a diversidade da produção brasileira. Os desafios, mesmo dentro de um único estado, são diversos. Em distâncias como 100 quilômetros, as condições de clima, solo e umidade podem ser totalmente diferentes. Um produtor que produz em Toledo, no Paraná, está a 500 metros de altitude, sendo assim, ele tem mais variedades de milho, soja e trigo adaptadas a esta altitude. Mas, ao se deslocar para um município próximo, como Guaíra, as condições são totalmente diferentes, afinal Guaíra está em uma altitude de 220 metros. Sendo assim, o trigo não é uma opção, e são poucas as variedades de soja e milho adaptadas a essa altitude. Quero, com tudo isso, dizer que, além do desafio climático, o produtor tem, ainda, um desafio tributário e cultural a superar. Com isso, vemos um País totalmente diversificado com relação às condições também de capitalização, pois, quanto maior a dificuldade regional, maior a necessidade desse produtor ter uma escala maior. Quanto mais distante dos centros de consumo ou dos portos, maior o desembolso com frete, e, assim, menor a rentabilidade. E o produtor está mais exposto às diversidades de clima, tributos e do mercado internacional. Com isso, um produtor, para sobreviver produzindo em algumas regiões, tem que ser muito competente. Observamos que, a cada ano, aumenta a necessidade de dedicação à produção.

Um fator que continua chamando a atenção é o custo de produção, que nem sempre está atrelado à distância dos portos, mas sim à realidade regional. Conseguimos identificar bem isso nos estudos feitos pelo projeto Campo Futuro, realizado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), em p...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!