Notícias da Argentina

BIODIESEL: A INDÚSTRIA EUROPEIA É CONTRA O ACORDO ENTRE ARGENTINA E UNIÃO EUROPEIA

Notícias

O biodiesel europeu vive momentos críticos, mais um em sua turbulenta história. À intensificação da campanha #NotInMyTank (#NãoNoMeuTanque) – especialmente destinada contra o biodiesel de óleo de palma e promovida por uma coalizão de 21 organizações ambientais europeias – se une, agora, um possível acordo entre a União Europeia e a Argentina sobre cotas e preços para a importação de biodiesel argentino. A indústria europeia teme que haverá uma falsa conclusão de suas denúncias contra essas importações subsidiadas e que os danos resultantes não serão compensados. No dia 1º de fevereiro, a Comissão Europeia deveria adotar um ato delegado sobre a nova Diretiva de Energias Renováveis para confirmar se estabelece ou não um calendário para remover a condição de energias renováveis dos questionados biodiesel de óleo de palma e de óleo de soja.


INUNDAÇÕES: UMA ENORME EMERGÊNCIA

Devido ao excesso de chuvas, uma grande região do Nordeste da Argentina está em uma situação de “emergência agrícola ou desastre”. Na província de Corrientes existiam, em janeiro, cerca de 3,2 milhões de hectares afetados por inundações, área pertencente a cerca de 8 mil produtores, com 2 milhões de cabeças de gado. Uma situação crítica. O excesso também está atingindo alguns departamentos de Entre Ríos, onde choveu 400 milímetros só na primeira quinzena de janeiro – um terço das chuvas de todo o ano. Chaco, outra província muito afetada, teve cerca de 1.500 pequenos produtores prejudicados. Por sua vez, o governador de Santa Fé, Miguel Lifschitz, analisou a emergência hídrica no Norte da província. Em dois meses, quase 900 milímetros caíram na região, que é o que chove em um ano. Dessa forma, o Secretário de Agronegócios argentino já solicitou que a Comissão Nacional de Emergências Agrícolas e Desastres analise a situação geral das províncias afetadas.


TRIGO

As exportações de trigo para o Brasil, em 2018, chegaram a 5.910.234 toneladas, o maior volume dos últimos 12 anos. Medidas em valor, representam renda de US$ 1,306 milhão. Segundo dados do Indec, esse número recorde foi superado apenas pelas 6.107.758 toneladas de 2006. No período 2016-2018, a comercialização para os brasileiros totalizou 15.314.845 toneladas, mais que o dobro do total exportado no período 2013-2015 (+103,47%).

SOJA

Um evento tradicional que se destaca a cada ano: a chegada do primeiro lote de soja aos portos da cidade de Rosário (província de Santa Fé), principal porta de saída das matérias-primas argentinas para o mundo. Em 16 de janeiro, foi feita a remessa de soja, que havia sido plantada em 26 de agosto em Potrero Norte, na província de Formosa, no Nordeste argentino. É a segunda vez consecutiva que a empresa que embarcou o produto consegue chegar primeiro à maior parte do porto.

LEITE

As vendas de produtos lácteos ao exterior cresceram, entre janeiro e novembro de 2018, para 294.945 toneladas, no valor de US$ 899,75 milhões, ou 34% a mais que em 2017. Entre os principais produtos estão leite em pó integral e soro de leite, seguidos de leite em pó desnatado e queijos duros, semiduros e muçarela. O ministro de Agroindústria da Argentina, Luis Miguel Etchevehere, afirmou que o foco está nas oportunidades comerciais para o Mercosul e outros destinos aos quais a Argentina ainda não chegou.

CARNE

O primeiro carregamento de 25 toneladas de carne desossada foi enviado ao importador da Societé Farah, na Tunísia. “Esta é uma conquista importante para os dois países e é resultado de um trabalho conjunto e coordenado entre os ministérios das Relações Exteriores, as agências de saúde e as autoridades agroindustriais da Argentina e da Tunísia”, disse o ministro das Relações Exteriores, Jorge Faurie.