Seed Point

SEED POINT

Sementes: a era das imagens DIGITAIS em laboratório

Muitas são as técnicas de análise de imagens que envolvem a avaliação das características físicas, fisiológicas, genéticas e sanitárias nos programas de controle de qualidade em laboratórios para análise de sementes

Francisco Guilhien Gomes Junior, PhD, Departamento de Produção Vegetal da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq/USP), [email protected]

O uso de imagens digitais é uma realidade crescente nos laboratórios de análise de sementes do Brasil e do mundo. Esse fato é um dos reflexos positivos da era digital marcada por invenções como o microprocessador, a rede mundial de computadores, a fibra óptica, o computador pessoal e os telefones inteligentes. As imagens digitais são formadas por um conjunto de pontos definidos por valores numéricos e cada ponto representa um pixel. Portanto, pixel é o menor elemento de uma imagem digital. Geralmente, uma imagem digital é composta por milhares de pixels, e, a cada pixel, é atribuída uma cor com ampla possibilidade de variação. Por exemplo, em uma imagem colorida RGB (Red-Green- -Blue) de 8 bits existem 16,7 milhões de possibilidades de cores para um único pixel. Essa informação individual de cor, pixel a pixel, é fundamental para identificar alterações dificilmente perceptíveis pela visão humana, constituindo-se em um eficiente procedimento para propiciar acurácia, precisão e rapidez nas avaliações relacionadas à qualidade de lotes comerciais de sementes.

No decorrer das últimas duas décadas, com o declínio do custo e o aumento da capacidade de processamento dos computadores, os sistemas de análise de imagens têm se tornado mais acessíveis na inspeção automatizada da qualidade de sementes. Várias técnicas de análise de imagens envolvendo avaliação de característic...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!