Especial Antônio da Luz

2019: o ano que não vai acabar em dezembro

Especial

Este ano tende a ser um dos mais importantes da história do Brasil: ou dá um salto para o futuro, ou haverá desperdício de algumas gerações vindouras. “A escolha será nossa: enfrentaremos os nossos erros e corrigiremos os rumos como as formigas, ou nos embriagaremos de narrativas como as cigarras”, diz o articulista

Antônio da Luz, economista-chefe do Sistema Farsul (Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul)

Muitos de nós já enfrentaram o espelho. Quem já o fez, sabe bem do que estou falando. Após cometer um erro muito grande, o sujeito precisa pôr as mãos sobre a pia, apoiando seu peso, e, lentamente, ir levantando a cabeça até que restem seus olhos refletidos no espelho. No silêncio do cômodo, os pensamentos vêm à tona com o absoluto da verdade – pois não há segredo consigo mesmo –, e o peso do julgamento desfigura aquele semblante ora altivo e altaneiro. Aquela imagem refletida é de alguém que não quer mais ser o resultado físico dos excessos, das más escolhas e da má leitura da situação. O espelho é sempre muito sincero para aqueles que o encaram, muito Arte: Maicon Silveira sobre foto de Leandro Mittmann mais do que a mãe, o pai ou o grande amigo. Ninguém conseguirá ser mais inclemente do que nós mesmos quando diante dessa situação. Mas daquele momento perturbador saem conclusões importantes. Pede-se desculpas para aqueles que estão em crédito, trocamos os erros por acertos e seguimos com a vida recompostos, mas sem nunca mais esquecer daquele dia. Outros jamais viverão essa situação. Há pessoas que nunca erraram na vida – pelo menos sob seu próprio ponto de vista – e vão usar o espelho apenas para checar sua aparência. Tudo o que de ruim lhes acontecer haverá de ter um c...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!