Especial Marcelo Brito

Expectativas POSITIVAS para o agro brasileiro

Especial

Além da perspectiva de mais uma boa safra de grãos, o setor aposta muito na nova equipe do Ministério da Agricultura. Mas caberá ao País atrair recursos internacionais e ainda promover investimentos fundamentais por aqui. Tudo para realizar o crescimento de 41% na produção de alimentos em uma década para, assim, atender à futura demanda global

Marcello Brito, presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag)

Em janeiro de 2019, assumi a presidência da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) com o desafio de dar sequência ao excelente trabalho desempenhado nos últimos sete anos por Caio Carvalho. Um dos objetivos da Abag é estabelecer, no agronegócio brasileiro, uma organização no processo de desenvolvimento sustentável, com integração às economias nacional e internacional. Nossas expectativas em relação ao desempenho do agronegócio e da economia brasileira, de forma geral, para 2019, são muito boas. Além da perspectiva de mais uma boa safra de grãos – a Conab projeta expansão de 1,7% –, a nova equipe que assume o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é de primeiríssima linha. A ministra Tereza Cristina conhece o assunto e tem larga experiência no setor.

Além dela, o secretário-executivo Marcos Montes teve um desempenho exemplar na presidência da Frente Parlamentar da Agropecuária, com muita sensibilidade para tratar as necessidades do setor. É bem verdade que estamos saindo de um período de crise econômica bastante complicado. Mas o agro brasileiro, ao longo desse período, mostrou todo seu potencial para manter equilibradas as contas externas do País, além de garantir, internamente, preços acessíveis aos alimentos. Agora, tudo indica, que o...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!