O Segredo de Quem Faz

“A EMBRAPA trabalha com todo mundo”

Leandro Mariani Mittmann
[email protected]

Uma Embrapa atuando em todas as frentes e ambientes. Para o produtor empresarial e ao pequenino que tem, hoje, a enxada como sua maior “tecnologia” e, portanto, precisa evoluir. No desenvolvimento de variedades de trigo para abastecer o mercado interno e na disseminação de tecnologias de ponta em algodão a agricultores do semiárido. Ainda na ampliação de parcerias com a iniciativa privada, assim como no envio de seus pesquisadores para aprender no exterior ao mesmo tempo em que recebe cientistas estrangeiros, sejam de países desenvolvidos ou pobres, para que conheçam nossas tecnologias em agricultura tropical. Estas são algumas das propostas da Embrapa para 2019 e anos seguintes, segundo relata, nesta entrevista, o presidente da instituição, Sebastião Barbosa, no cargo desde outubro. Pesquisador aposentado da unidade Embrapa Algodão, Barbosa também atuou em muitas outras funções na instituição, assim como teve passagens por diversos organismos, como na Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), em Roma e Santiago.

O

A Granja — Quais os principais objetivos e as metas da Embrapa para 2019?

Sebastião Barbosa — Na verdade, não temos objetivos e metas para 2019. É uma sequência de atividades da Embrapa ao longo do tempo. Vamos dar continuidade ao trabalho da Embrapa. Temos uma agenda com os agricultores para “ontem” que, para eles, é muito importante, e para “hoje”. Mas os agricultores não têm tempo, estão assoberbados com os problemas do dia a dia. Mas a Embrapa, como uma empresa de ciência, tecnologia e inovação, tem que pensar daqui a dois, três, cinco, dez, 20 a...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!