Plantio Direto

Manejo da MATÉRIA ORGÂNICA no PD em regiões tropicais

João Carlos de Moraes Sá, professor associado, Departamento de Ciência do Solo, Universidade Estadual de Ponta Grossa/PR

Amatéria orgânica do solo (MOS) atua como uma componente-chave nos atributos físicos, químicos e biológicos (Figura 1, a seguir). Os atributos físicos, tais como agregação, porosidade total, infiltração e armazenamento de água, aumentam com o crescimento da MOS. O mesmo ocorre com o potencial de hidrogênio (pH), a capacidade de troca de cátions (CTC), a disponibilidade de nutrientes, a respiração do solo e a quantidade de carbono (C) e nitrogênio (N) microbiano. Em solos de regiões tropicais e subtropicais, a MOS atua como a principal componente na formação de cargas negativas da CTC, contribuindo com 70% a 90% (Tabela 1, a seguir).

Plantio

Um dos princípios para melhorar a eficiência do uso da água no solo é reduzir sua evaporação por meio da manutenção de cobertura permanente da superfície

A estratégia de manejo apropriada para elevar o potencial produtivo desses solos se inicia através do aumento das cargas negativas e, consequentemente, de sua CTC (Sanchez, 1976; Uehara & Keng, 1975; Uehara, 1995). Nesses solos, o uso de calcário para a correção da acidez, do gesso (Caires et al., 2011), de adubos fosfatados (Fox, 1980) e o aumento do conteúdo de MOS através da maior adição de fitomassa (Sá et al., 2009) na forma de resíduos culturais têm sido estratégias eficazes no aumento das cargas negativas. A MOS atua como principal agente de cimentação das partículas de argila para a formação de agregados, resultando na reconstrução e na estabilidade da estrutura do solo (Tivet et al., 2013; de Oliveira Ferreira et al., 2018).

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!