O Segredo de Quem Faz

O CAPRICHO e a braquiária fazem uma soja campeã

O

Leandro Mariani Mittmann
[email protected]

Até bem pouco tempo atrás, o médico-veterinário e pecuarista Raul Santos Costa Neto, 40 anos, nunca tinha colocado um grão de soja nas mãos. Hoje, apenas cinco safras depois de investir na oleaginosa, ele é o campeão da fase Centro-Oeste do Desafio Máxima Produtividade Nacional de Soja, concurso promovido pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb). Ele e sua equipe – Costa Neto faz questão de registrar a importância dos funcionários que eram vaqueiros e, hoje, pilotam tratores. Todos, incluindo ele, recentemente, eram exclusivamente da pecuária. Neto e bisneto de pecuarista, Costa Neto descreve a seguir como e por que ganhou a concorrida competição e colhe uma média de 70 sacas de soja em 1.500 hectares em Poconé/MT. A seguir, uma aula de integração lavoura-pecuária (ILP).

A Granja – Por que o investimento em soja, uma atividade tão diferente da pecuária?

Raul Santos Costa Neto – Esta história toda começa seis, sete anos atrás. A propriedade onde eu trabalhava foi vendida pelo proprietário. A fazenda, que tinha a parte de melhoramento, foi vendida junto com o gado. O proprietário e eu saímos em busca de uma outra fazenda para continuar o negócio de pecuária e o que quer que seja. Encontrei esta propriedade, por coincidência, em Poconé/ MT, município da minha família, onde era uma usina de cana, mas a fazenda não era de cana, e sim uma pastagem degradada, e ali vislumbrei a possibilidade de trabalhar com soja, porque já era uma área de valor por hectare elevado para os padrões da região e da época, e propícia para a agricultura. E eu tinha que justificar essa compra com o d...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!