Produtividade

As EQUAÇÕES das altas produções

Produtividade

O milho tem ótimas condições fisiológicas para produzir muito, afinal, uma semente de 260 miligramas pode resultar em 250 gramas de grãos. Porém, tal manifestação de performance depende de uma série de elementos do ambiente de produção. É preciso conhecer as exigências edafoclimáticas do cereal

Antonio Luiz Fancelli, professor aposentado da Universidade de São Paulo/Esalq, Fancelli & Associados – Consultoria Empresarial, [email protected]

O milho (Zea mays) ocupa o primeiro posto na produção mundial dos grãos, desde a safra de 2008, superando o trigo. E, a partir daquela data, não parou mais de crescer, visto que atualmente são cultivados cerca de 180 milhões de hectares, os quais contribuem para a produção de, aproximadamente, 1,035 bilhão de toneladas de grãos. O cereal, em decorrência de seu potencial produtivo, composição química e valor nutritivo, aliado à sua multiplicidade de uso e aplicações, quer na alimentação humana, quer na alimentação animal, assume relevante papel socioeconômico, bem como se constitui em indispensável matéria-prima impulsionadora de diversificados complexos agroindustriais no Brasil e no mundo.

O milho, comparativamente a outras espécies cultivadas, tem evidenciado avanços significativos nas mais diversas áreas do conhecimento agronômico, bem como naquelas concernentes a ecologia, fisiologia e nutrição, propiciando melhor compreensão de suas relações com o ambiente de produção. Tais interações mostramse fundamentais para o exercício da previsão de comportamento da planta, quando submetida a estímulos advindos de diferentes estratégias de manejo. Todavia, além da tecnologia aplicada, o ambiente de produção, representado pelo período de tempo e pelas condições edaf...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!