Projeto de lei quer proibir abates de pintinhos machOS em SP de forma cruel

As organizações Animal Equality Brasil, Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal e Sinergia Animal elaboraram um projeto de lei, que foi apresentado pelo deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL), para proibir que pintinhos machos sejam mortos de forma cruel em São Paulo — triturados ou por asfixia, por exemplo.

De acordo com estimativas da Animal Equality, cerca de 25 milhões de pintinhos machos são triturados vivos - ou descartados por outros métodos considerados cruéis - nos incubatórios do Estado por ano atualmente.

As organizações lembram, em nota, que os pintinhos machos são considerados inúteis pela indústria de ovos, e também não servem para o abate porque a raça (linhagem) das galinhas poedeiras é diferente da raça dos frangos usados para produção de carne.

“A tecnologia para descobrir o sexo dos pintinhos quando ainda estão no ovo, que poderia salvar milhões de pintinhos em todo o mundo, já existe. Entretanto, essa tecnologia ainda não está disponível no Brasil, mas muitas empresas do setor já demonstraram interesse em trazê-la. Por isso, o PL prevê que os incubatórios se adaptem, a partir da data em a tecnologia estiver disponível no mercado. [Segundo o PL], a multa prevista para as empresas que descumprirem a lei será de 100 UFESP, o equivalente a R$ 2.990”, informaram.

Em fevereiro, foi apresentado um projeto de lei no Parlamento da Alemanha para proibir o abate de pintinhos machos de um dia a partir do ano que vem.

Data: 04/05/2021
Fonte: Valor Econômico

Últimas notícias