Frio intenso nos EUA prejudica a pecuária

Onda de frio intenso está prejudicando pecuaristas e frigoríficos no Texas, EUA, que enfrentam dificuldades para manter os animais alimentados. O problema se deve a uma massa de ar do Ártico, que levou as temperaturas aos menores níveis dos últimos 30 anos, causando transtornos que deixaram mais de quatro milhões de estadunidenses sem energia elétrica.

De acordo com o jornal norte-americano AgWeb, cada vez mais o setor pecuarista vem sofrendo com o frio congelante que assola o Texas. Isso acontece devido à falta de energia elétrica e de gás natural em muitos confinamentos de High Plains, que tem dificultado a alimentação de bovinos durante esse período.

Além disso, a tempestade de inverno fez com que a indústria tomasse medidas para a suspensão ou redução temporária das operações. “Para garantir a segurança dos membros da nossa equipe e o bem-estar dos animais durante este período de clima extremo e cumprir as restrições de energia, suspendemos temporariamente ou reduzimos as operações em alguns de nossos locais. Estamos em contato próximo com empresas de energia para minimizar interrupções e atender aos pedidos dos clientes”, declarou a indústria de alimentos, Tyson Foods, em comunicado oficial.

Dessa forma, diversas empresas se posicionaram e traçaram um novo plano para a utilização do gás natural, priorizando as necessidades humanas. A empresa Texas Cattle Feeders, também falou a respeito do momento delicado, estabelecendo como prioridade cuidar dos animais durante o frio recorde.

“Nossos membros do pátio de rações usam predominantemente milho em flocos vaporizados para incluir em suas rações, o que requer o uso de caldeiras a gás natural. A acomodação inicial que nossos membros foram capazes de fazer é deixar as caldeiras ociosas de volta a um ponto onde elas estão em fogo baixo, essencialmente para evitar que tudo congele, e então mudar temporariamente aqui para laminação a seco ou quebrando milho,” explicou Ben Weinheimer, vice-presidente da Texas Cattle A Feeders Association para a AgWeb.

Foto: Katelyn Dynneson Larson

Data: 17/02/2021
Fonte: Redação AG

Últimas notícias