Preços do boi sobem menos em novembro após pressão de frigoríficos

Os preços do boi voltaram a subir em novembro, mas com menos força na comparação com os últimos meses. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os frigoríficos de grande porte, com margens operacionais muito reduzidas por conta da escalada nos preços da matéria-prima e a dificuldade de repasse ao longo da cadeia, passaram a pressionar os pecuaristas, adotando diversas estratégias para conter o avanço apesar da oferta restrita de animais terminados.

A consequência, segundo Iglesias, foi um fluxo de negócios mais arrastado, principalmente na segunda metade do mês. “Os frigoríficos de maior porte ainda sinalizam para uma posição de maior conforto em suas escalas de abate, posicionadas entre quatro e seis dias úteis.

No entanto, o mercado ainda conta com alguns elementos de sustentação, a começar pela oferta muito restrita de animais terminados, prontos para o abate, criando uma grande dependência da oferta de animais confinados para atender a programação dos frigoríficos no período de maior demanda de carne bovina do ano”, assinalou.

Segundo Iglesias, a oferta de animais de safra estará apta ao abate apenas no final do primeiro trimestre de 2021, consequência da estiagem prolongada que desgastou as pastagens no decorrer do segundo semestre nas principais regiões.

“Somado a isso, temos o auge da demanda doméstica de carne bovina e o bom ritmo de embarques nas últimas semanas, fatores que ajudam a enxugar a oferta doméstica”, salientou o analista.

Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade à prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 26 de novembro:

São Paulo (Capital) – R$ 277,00 a arroba, contra R$ 274,00 a arroba em 30 de outubro (+1%).

Goiás (Goiânia) – R$ 270,00 a arroba, contra R$ 260,00 a arroba (3,85%).

Minas Gerais (Uberaba) – R$ 274,00 a arroba, ante R$ 266,00 a arroba, subindo 3%.

Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 270,00 a arroba, ante R$ 263,00 a arroba (2,66%).

Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 265,00 a arroba, contra R$ 253,00 a arroba (4,74%).

Exportação

As exportações de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada do Brasil renderam US$ 522,412 milhões em novembro (14 dias úteis até o domingo, 23), com média diária de US$ 37,315 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 119,092 mil toneladas, com média diária de 8,506 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.386,60.

Na comparação com novembro de 2019, houve baixa de 0,84% no valor médio diário, ganho de 9,38% na quantidade média diária e queda de 9,34% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Data: 30/11/2020
Fonte: Safras & Mercado

Últimas notícias