Custo de produção de leite volta a crescer em junho

Após queda verificada no mês anterior, o custo de produção de leite voltou a subir em junho em 0,75%. A maior alta foi verificada no grupo Qualidade do leite composto por itens de higiene e limpeza, que variou 1,93%. Em seguida, o grupo Alimentação
concentrada, que apresenta o maior peso na ponderação do indicador, apresentou variação de 1,56% refletindo o aumento do preço da soja principalmente. As variações dos grupos Sal mineral e Sanidade também superaram a marca do indicador, apresentando altas de 1,54% e 1,03%, respectivamente. Já os grupos Energia e combustível e Reprodução variaram positivamente. Porém, com variação abaixo do indicador, registrando respectivamente inflações de 0,53% e 0,28%.

O único grupo que apresentou deflação em junho foi Produção e compra de volumosos, que variou -0,26%. O custo do grupo Mão de obra permaneceu sem alteração.

A inflação acumulada do primeiro semestre de 2020 foi de 3,69%. A maior variação foi a do grupo Qualidade do leite, que desde março vem subindo devido ao Covid-19. O acumulado do semestre foi de 8,72%. Os grupos Alimentação concentrada e Mão de
obra, também apresentaram variações superiores à do indicador, respectivamente de 7,85% e 4,69%. Variações positivas mais baixas que a do indicador foram verificadas nos grupos Sal mineral, 2,77% e Sanidade, 1,75%. Três grupos apresentaram deflação no acumulado do semestre: Energia e combustível, com queda de -6,08%, Produção e compra de volumosos, -1,77% e o grupo Reprodução, que variou -1,83%.

Em relação aos últimos 12 meses, produzir leite em junho, em média, foi 6,18% mais caro. O custo da Alimentação concentrada foi o que mais aumentou, sendo a principal responsável pela inflação calculada, encarecendo 14,69%. Em seguida, e variando mais que o dobro do ICPLeite/Embrapa, o grupo Qualidade do Leite subiu 12,85% devido a maior procura por materiais de limpeza. As maiores deflações foram encontradas nos grupos Produção e compra de volumosos que variou -3,94% e Energia e combustível, com variação negativa de -3,51%, ambos influenciados pela queda do preço do petróleo.

Data: 10/07/2020
Fonte: Embrapa

Últimas notícias