Bactérias ampliam tolerância da Braquiária à seca

Experimentos realizados pelo Grupo de Estudos em Forragicultura Cecato (GEFORCE), da Universidade Estadual de Maringá (UEM), vêm demonstrando que algumas bactérias podem ser grandes aliadas para tornar a Braquiária mais resistente à seca. Sob a coordenação do Professor Dr. Ulysses Cecato, em parceria com a Dra. Mariângela Hungria, pesquisadora da Embrapa Soja, os testes são desenvolvidos desde 2016 com as bactérias Azospirillum brasileinse Ab-v5 (=CNPSo 2083), Pseudomonas fluorescens CCTB03 (CNPSo =2719) e Pantoea ananantis.

Os resultados preliminares indicam que, quando em contato com as raízes sob estresse abiótico, os organismos desenvolvem mecanismos que diminuem consideravelmente a perda de água das células do sistema radicular das plantas, promovendo um ambiente mais úmido e favorável ao seu desenvolvimento. Além disso, também contribuem para os capins possam desenvolver ajustes fisiológicos, como alteração nas concentrações de pigmentos relacionados à fotossíntese, a nitrogênio, a carboidratos solúveis (açúcares), dentre outros, em resposta à condição de estresse.

Clique aqui e acesse a matéria completa.

Data: 08/11/2019
Fonte: Revista AG

Últimas notícias