Pragas: as cigarrinhas que causam perdas às pastagens

As pastagens também são atacadas por pragas, classificadas como ocasionais, como a cochonilha-da-pastagem, a lagarta-dos-capinzais e o percevejo-das-gramíneas, e as gerais, como cupins, formigas, gafanhotos, percevejo-castanho-das-raízes e larva de besouro escarabeídeo. Mas a praga específica da pastagem são as cigarrinhas, assunto que é de fundamental importância na pecuária e foi abordado no Guia do Criador 2019, na seção Santo Capim, do colunista Adilson de Paula Almeida Aguiar. Foi a Parte I do artigo, que terá complemento na edição de fevereiro da revista AG - Guia do Criador.

As cigarrinhas são insetos da ordem Homoptera, da família Cercopidae. São sugadoras apenas de gramíneas (capins). Sugam a seiva na fase imatura e são toxicogênicos na fase adulta, à exceção das cigarrinhas-dos-canaviais cujas ninfas também são toxicogênicas. Todas as cigarrinhas de pastagens são autóctones, ou seja, nativas. As cigarrinhas são insetos que se desenvolvem por hemimetabolia (fases ovo – ninfa – adulto), passando pelas seguintes fases. Já os danos variam entre 10% e 100%, sendo que as ninfas das cigarrinhas-da-pastagem causam algum estrago, mas, no caso da cigarrinha-da-cana (Mahanarva fimbriolata), os prejuízos são mais severos, mesmo os causados pelas ninfas. "Os adultos são os responsáveis pelas maiores perdas. Injetam dois grupos de substâncias: um se coagula no interior do tecido das folhas, possivelmente desorganizando o transporte da seiva e outro é composto por substâncias solúveis, que se translocam para o ápice das folhas (ponta), provocando morte dos tecidos. Em consequência das ações daquelas substâncias, aparecem os sintomas típicos do ataque das cigarrinhas nas pastagens, como se fosse uma 'queima' pela geada ou o efeito da aplicação de herbicidas dessecantes", esclarece o articulista.

Data: 04/01/2019
Fonte: Guia do Criador 2019

Últimas notícias