Antimicrobianos, o X da questão

O surgimento de superbactérias é uma preocupação mundial, e no Brasil não é diferente. Acompanhe esta entrevista com o professor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ-USP) João Palermo Neto, que responde as principais dúvidas em relação ao uso de antimicrobianos.

"Antimicrobianos não são a mesma coisa que antibióticos. Todo o antibiótico é um antimicrobiano, mas o oposto não é verdade. Antimicrobianos ou anti-infecciosos são substâncias químicas capazes de matar micro-organismos. Os antimicrobianos podem se dividir em específicos e não específicos. Os medicamentos que atuam sobre determinados agentes patogênicos são antimicrobianos específicos; antissépticos e desinfetantes são antimicrobianos não específicos", explica o professor.

Indagado se existe um problema real decorrente do uso de antimicrobianos na produção animal ou se trata apenas de uma percepção da sociedade ou dos consumidores de produtos de origem animal, o especialista afirma que as duas partes da questão são verdadeiras.

"O problema é real e foi confirmado pela Organização Muncial de Saúde (OMS), Organização Internacional de Epizootias (OIE), Codex Alimentarius (normatização de alimentos estabelecida pela ONU), Agência Nacional de Saúde (Anvisa) e todas entidades envolvidas com saúde humana. Basicamente, ele se centra em dois aspectos muito importantes. Primeiro que os antimicrobianos exercem uma pressão de seleção". Todos os detalhes você encontra na "Entrevista do Mês",

Clique aqui e acesse a matéria completa.

Data: 16/11/2018
Fonte: Revista AG

Últimas notícias