Falou

Alvo : O Mercado INTERNO

Antenor Nogueira, presidente do Fórum Nacional da Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), e diretorpresidente do Instituto Pró-Carne, fala sobre os objetivos da entidade criada há pouco mais de quatro meses

AG Leilões — Qual o principal objetivo do Instituto Pró-Carne? Há quanto tempo ele existe? Antenor Nogueira — O Instituto Pró-Carne foi criado exclusivamente para fazer o marketing da carne bovina no mercado interno. Os produtores de um modo geral acham que o mercado interno é muito mais representativo que o mercado externo. Achamos por bem lançarmos o instituto para poder alavancar as vendas de carne dentro do País. O instituto está operando há cerca de quatro meses.

 

AG Leilões — Quais as principais ações do instituto para promover o consumo de carne? Nogueira — Fizemos o lançamento inicialmente no mercado de São Paulo, por ser o mercado que detém o maior poder de consumo do País. Estamos estendendo gradativamente esse programa para outros Estados. Recentemente, iniciamos uma campanha no Rio Grande do Sul, onde estamos desenvolvendo um trabalho muito forte. Dentre as ações já realizadas, podemos destacar o trabalho que está sendo realizado no metrô de São Paulo, onde temos hoje banners com a campanha do instituto em todos os vagões do trem. Escolhemos o metrô por ter cerca de 3 milhos de usuários e assim atingiríamos um grande número de pessoas. Além do metrô, já fizemos campanha em jogos de futebol, campanhas em revistas de âmbito nacional e participamos também do Congresso Brasileiro de Cardiologia, realizado no mês de setembro em Porto Alegre/RS. Enfim, estamos trabalhando para desmistificar as lendas criadas em torno da carne bovina. Pretendemos recuperar o consumo interno nos níveis de antigamente, que giravam em torno de 42 kg per capita por ano.

 

AG Leilões — Muito se fala que a cadeia produtiva da carne de boi não trabalha tão bem quanto às cadeias produtivas de frango e suíno. Você concorda? O que o instituto pretende fazer para reverter essa situação? Nogueira — Concordo inteiramente. O problema da carne bovina é diferente da cadeia produtiva de outros animais. É diferente pois os criadores de outros tipos de carne trabalham integrados com a indústria, que já paga um percentual a eles pelo corte ou pela lucratividade. O lucro já é preestabelecido pela indústria. Já a carne bovina não possui essa relação com a indústria de carne. Por isso nosso trabalho é tão importante. Estamos tentando desmistificar a carne bovina, que até pouco tempo era tida como vilã, que fazia mal a saúde... Mas com o nosso trabalho estamos mostrando para a população que não é assim.

 

AG Leilões — Quais as metas do instituto? Nogueira — A principal meta é atingir o consumo que tínhamos em 1995, onde cada brasileiro consumia cerca de 42 kg por ano. A meta do Instituto Pró- Carne é audaciosa. Pretendemos aumentar o consumo em 3 kg per capita por ano nos próximos 18 meses.

 

AG Leilões — O instituto representa quais entidades? Nogueira — O instituto nasceu da idéia de produtores rurais para representar todas as entidades que queiram promover o consumo da carne bovina. Todas as entidades ligadas à pecuária de corte podem se unir a nós, pois juntos conseguiremos atingir nossas metas mais facilmente.

Nogueira: ‘‘Estamos trabalhando para desmistificar as lendas criadas em torno da carne bovina’’