Documento Embrapa

Monta natural ou IATF, o que vai ser na próxima estação de MONTA?

Thais Basso Amaral 1

Para alcançar boas taxas de prenhez, todos os anos, entre agosto e setembro, é necessário começar o planejamento e a preparação da estação de monta subsequente. Um dos principais aspectos a serem considerados é a escolha entre monta natural ou inseminação artificial. A decisão nem sempre é fácil.

Caso a opção seja a monta natural, é preciso preparar e/ou adquirir os touros, realizar exame andrológico, etc. Caso seja inseminação artificial em tempo fixo (IATF) é necessária a escolha e aquisição do sêmen, protocolos hormonais, consultoria técnica, entre outros aspectos. Essencial também, nessa fase, é monitorar a condição nutricional das fêmeas, e, caso necessário, fazer suplementação, pois o sucesso da estação de monta depende muito da condição corporal da vacada.

Além dos aspectos técnicos, existem os econômicos. Será que vale a pena investir em touros de alto valor genético para monta natural ou é melhor partir para a IATF? Qual a taxa de prenhez necessária para compensar este investimento com os touros e qual a relação touro: vacas usar? Por quanto tempo o touro deve permanecer na fazenda? Se optar pela IATF, qual o preço a pagar pelo sêmen para compensar os custos? Essas são dúvidas que muitos produtores têm e, muitas vezes, para chegar à resposta, são necessários cálculos, planilhas e simulações. Isso toma certo tempo e, na correria do dia, a dia, sem as ferramentas adequadas, a conta se torna difícil, e as decisões são tomadas mais pela “emoção” do que pela “razão”.

Segundo dados da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia, 2018), 8,5 milhões de doses de sêmen de gado de corte foram comercializadas em 2017. Hoje, cerca de 12% das matrizes de corte são inseminadas, e, destas, a IATF chega a quase 80% das inseminações. Dentre as vantagens da IATF estão: a eliminação da necessidade de observação de cios; a curta duração do período de inseminação; altas taxas de prenhez no início da estação de monta; e, consequentemente, concentração dos partos no início da estação de nascimentos. Atualmente, os sistemas mais utilizados são de 1 (uma) IATF mais repasse com touro, 2 (duas) IATFs mais repasse com touros ou ainda, recentemente, 3 (três) IATFs sem repasse.

Mas por que falar sobre tudo isso? Em fevereiro de 2019, a Embrapa Gado de Corte lançou o aplicativo Cria Certo com o objetivo, justamente, de auxiliar produtores e técnicos a planejar a estação de monta, principalmente no quesito escolha do método de reprodução a utilizar: monta natural ou IATF. Não importa qual o sistema operacional do seu smartphone (Android, IOS etc.), ele roda em qualquer dispositivo, tablet e desktop. O aplicativo é amigável e a média registrada de tempo de uso para cada acesso é de três minutos e 30 segundos.

São quatro as opções de simulação: Monta Natural, uma IATF + repasse com touro, duas IATFs + repasse com touro e três IATFs. Para realizar as simulações é necessário entrar com alguns dados, como número de vacas em reprodução, taxa de prenhez, taxa de natalidade, preço do touro / sêmen, preço do aluguel do pasto etc. Caso não tenha esses custos definidos, o aplicativo possui alguns valores padrão para auxiliar na simulação, são valores de referência de mercado e atualizados anualmente.

Por exemplo: seria melhor investir R$ 10.000,00 em um touro com avaliação genética que possui uma DEP à desmama dos bezerros de cinco quilos ou usar um sêmen de um touro que possui a mesma DEP de cinco quilos à desmama pelo valor de R$ 18,00 a dose? O Cria Certo ajuda com a resposta.

Entre as vantagens de se utilizar o aplicativo está a possibilidade de fazer várias simulações e salvá-las para comparações futuras, ou até mesmo realizar simulações de várias fazendas diferentes. O aplicativo é gratuito e está disponível pelo site www. criacerto.com. Certamente sua estação de monta 2020/2021, em meio à pandemia, será diferente!

O desenvolvimento do App contou com o suporte da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), Geneplus Consultoria Ltda. e do Please - Laboratório de Pecuária de Precisão, Meio Ambiente e Engenharia de Software da Faculdade de Ciência da Computação da UFMS.

1 Médica veterinária especialista em Pecuária de Precisão