Sala de Ordenha

Queda na produção e mercado mais ajustado

Houve queda no preço do leite pago ao produtor em maio, referente à produção de abril. Considerando a média nacional, o recuo foi de 2,0%, na comparação mensal. O preço médio ponderado dos 18 estados pesquisados pela Scot Consultoria ficou em R$ 1,256 por litro, sem o frete. Já o valor médio com bonificações por qualidade e volume ficou em R$ 1,658 por litro, queda de 0,7% em relação ao pagamento anterior. Veja a Figura 1.

Sala

A queda no preço do leite ocorre devido ao escoamento mais fraco no mercado interno desde meados de março com a pandemia de coronavírus, situação agravada em abril. Naquele momento, a relação oferta e demanda foi mais afetada devido à queda brusca no consumo. Atualmente, o mercado do leite está “um pouco mais ajustado”, com o peso maior da entressafra no Brasil Central e na Região Sudeste, além dos investimentos menores do produtor, custos de produção maiores e o clima afetando a produção no Sul do País.

Segundo o do Índice Scot Consultoria de Captação, o volume captado de leite diminuiu 3,3% em abril e caiu 1,9% em maio, segundo dados parciais (média nacional). Na comparação com maio do ano passado, a captação caiu 7,9%..

Spot e atacado

A oferta mais ajustada à demanda deu sustentação aos preços do leite e derivados na primeira quinzena de junho. Houve forte alta do leite no mercado spot, que é o leite comercializado entre as indústrias, o que corrobora com o quadro de mercado mais equilibrado.

No atacado, os preços dos produtos lácteos subiram, em junho, com os estoques menores nas indústrias diante da queda no processamento. Para o leite longa vida e o queijo muçarela, as altas foram de 5,6% e 9,3% na comparação quinzenal. As cotações dos lácteos reagiram ta...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!