Santo Capim

A sustentabilidade da tecnologia de correção e ADUBAÇÃO DO SOLO
Parte I

Santo

Adilson de Paula Almeida Aguiar é zootecnista; professor de Forragicultura e Nutrição Animal no curso de Agronomia, de Forragicultura e Pastagens e Plantas Forrageiras no curso de Zootecnia nas Faculdades Associadas de Uberaba (Fazu); investidor nas atividades de pecuária de corte e de leite; consultor associado da Consupec – Consultoria e Planejamento Pecuário Ltda.

Cada vez se torna mais evidente a necessidade de se adotar tecnologias de alto insumo como base da intensificação dos sistemas de produção em pasto. Neste artigo, apontarei os fatores que levarão, de modo crescente, os produtores à necessária intensificação pela adoção de tecnologias de alto insumo, tal como a correção e adubação.

O maior dilema da humanidade, já nos dias de hoje e cada vez mais no futuro, é o de continuar aumentando a produção de alimentos para atender a uma demanda crescente sem que a agropecuária avance sobre áreas nativas e sem degradar o meio ambiente. A FAO estima que, até 2050, a produção de alimentos dobre em relação à de 2000 para atender à demanda mundial. Em 1990, quando a população mundial alcançou 5,2 bilhões de habitantes, a produção mundial de alimentos foi de 2 bilhões de toneladas, número que deve atingir 4 bilhões de t em 2025 para alimentar 8,3 bilhões de habitantes. Espera-se também que renda per capita dobre nos países em desenvolvimento e obtenha um acelerado crescimento econômico na Ásia, na Rússia e na Europa Oriental.

A China já consome 19% da produção de grãos do mundo, e consumirá 41% por volta do ano 2031. Os estoques mundiais de alimentos vêm caindo. A demanda por produtos de origem animal não tem sido diferente. O consumo de carne per capita entre ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!