Sobrevoando

Contas

Toninho Carancho
[email protected]

Nunca se fez tanta conta como agora. Nem te conto.

Quando a corda aperta é que a gente vê e aparece melhor, fica mais evidente, as nossas incompetências, desperdícios, mau uso etc. Assim como os nossos acertos.

E agora a conta está chegando para quase todo mundo.

Quem não fez as contas bem antes, agora está fu... ferrado.

Gastou e não investiu? Lascou.

Investiu mal? Lascou.

Não investiu? Lascou.

Se correr, o bicho pega. Se ficar, o bicho come.

E agora, José? Agora, temos que ter alguma calma, se possível.

Pensar antes de agir (aliás, sempre deveria ser assim).

Por sorte, nós, do agro, ainda somos, e estamos, menos atingidos pelo coronavírus, Covid-19, vírus chinês, Kung Flu ou a forma que achar melhor chamar. O pessoal do comércio em geral, esse sim, está realmente fu... ferrado.

Mas, sim, fomos atingidos, e as contas estão chegando e/ou já chegaram.

Tem as contas que são os valores a pagar e a receber. E tem as contas que temos que fazer para saber se vamos fazer um bom negócio ou não.

Vendemos os bezerros agora? Compramos os bezerros agora?

Qual o preço da arroba ou do quilo que podemos vender ou comprar esta categoria? Quanto vale?

E o boi gordo? Seguro no pasto? E no confinamento, seguro também?

Quanto custa segurar? É muita conta.

A arroba vai subir, seguro.

Boi China vai subir, seguro.

A arroba vai cair, vendo.

Que contas temos que fazer?

Quem sabe o que deve ser feito?

Eu sei quem sabe.

Você mesmo.

Cada um de nós tem que saber o que fazer, porque cada fazenda é única. Cada situação é exclusiva. Só você sabe quanto tem de caixa, de pasto, de comida, de gado, de seca, de frio, de oportunidade de negócios.

Você é o seu general (ou capitão), seu presidente.

Informe-se o melhor possível e tome a decisão.

Faça as suas contas e aja.

Você vai acertar todas? Não.

Você vai errar todas? Não.

Mas acerte com convicção, e erre da mesma forma.

Na média, você vai se sair bem.

Eu estou aqui fazendo as minhas contas.

Tenho uns bezerros para vender, o frio está chegando, a seca está braba, o preço está meio de lado... E agora, José?

Vou acertar, vou errar, mas com critério e convicção. O meu critério e a minha convicção.

Não os de mais ninguém.