Na Varanda

Quem ajudará a mudar o foco do boi para o peão?

Francisco Vila é economista e consultor internacional [email protected]

Numa recente palestra, provoquei o público perguntando: “O que é mais importante: o boi ou o peão?”. A resposta provinda da segunda fila não tardou. “Claro que é o boi, pois ele dá dinheiro.” Gosto de respostas rápidas, mas nem sempre elas conseguem captar tudo que seja relevante para avaliar uma situação complexa. Já que a maioria silenciosa confirmou a colocação do colega, abanando com a cabeça, senti-me motivado para contrapor o seguinte: “Com todo o respeito, na minha visão, o boi é que custa dinheiro, mas é o pessoal da fazenda que produz o lucro”.

Conto isso pois, poucos dias depois, repeti o mesmo episódio numa plateia feminina de técnicas e de produtoras rurais. Interessantemente, o resultado foi diferente. A resposta demorou alguns segundos a mais, no entanto, duas senhoras responderam, quase ao mesmo tempo: “O peão, pois ele cuida do boi para controlar os custos e otimizar o valor na hora da venda”. Bom, é sobre isso que vamos refletir no nosso papo desta edição.

No mês passado, conversei com dezenas de produtoras rurais durante o 4º Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio sobre suas visões e perspectivas referentes à produção de alimentos no futuro. Ao longo de dois dias, cerca de 1.500 fazendeiras, pesquisadoras e gerentes de empresas de insumos, indústrias de transformação e bancos debateram temáticas sobre como entender e se preparar para um agronegócio cada vez mais tecnificado.

Sempre participei ativamente na formação de agrupamentos femininos do setor, pois estava prevendo uma ascensão da mulher em posições de comando em todos os segmentos. Afinal, as mulheres representam 51% da população, e o mesmo vale para futuras herdeiras de propriedades rurais. Assim, nada mais natural que repetir na gestão de negócios o que ob...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!