Caprinovicultura

Carne de qualidade se inicia com animal bem nutrido

Alimentação adequada do nascimento à terminação colabora para aspecto sanitário geral dos cordeiros e para a oferta de um produto final aprimorado ao consumidor

Denise Saueressig
[email protected]

Para alcançar bons resultados na produção e na venda, o criador deve trabalhar com atenção às diferentes necessidades do rebanho. Entre os cordeiros, categoria que oferece a carne mais valorizada do mercado, os aspectos nutricionais representam a base para um animal saudável e que, consequentemente, originará um produto de melhor qualidade.

Um animal bem nutrido tem um sis tema imunológico mais forte e consegue responder positivamente a qualquer desafio que o ambiente possa trazer a ele, observa a zootecnista Sarita Bonagurio Gallo, professora da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo (USP). “Por exemplo, se o cordeiro está em um local com altas chances de adquirir doenças, mas estiver bem nutrido, muitas vezes, nem terá problemas. E, se ficar doente, terá uma velocidade de cura maior do que um animal que está debilitado”, conclui.

Doutora em Nutrição de Ruminantes, Sarita foi palestrante do 19º Seminário Paulista de Ovinocultura, no mês passado, durante a 32ª Expovelha, em Lençóis Paulista/SP. Na sua palestra durante o evento, a professora abordou a “Nutrição do cordeiro do nascimento à terminação”.

Nos primeiros dez a 15 dias de vida, a única fonte de nutrição do filhote é o colostro e o leite. É o período em que é perceptível a maior mortalidade de cordeiros, sendo que boa parte dessas ocorrências se deve a problemas de nutrição. Isso acontece ou porque a mãe não está produzindo leite suficiente, ou porque não produziu um colostro de boa qualidade que conferisse ao recém-nascido uma boa imunidade. “Por isso, é importante ressaltar que a nutrição do cordeiro começ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!