Matéria de Capa

Faces da mesma moeda

Gestão competente e programa de melhoramento genético são interdependentes e andam juntos

Ivaris Júnior

Dos principais programas de melhoramento genético que se valem das Diferenças Esperadas de Progênie (DEPs) para nortear suas orientações, nenhum, hoje, está como nasceu. Todos passaram por inúmeras mudanças e, ao longo do tempo, adequações a novas demandas e exigências, de modo a se manterem em condições de atender às crescentes demandas do mercado. Apesar de produto de uma parceria público-priva Faces da mesma moeda Gestão competente e programa de melhoramento genético são interdependentes e andam juntos Ivaris Júnior da, o Geneplus – um dos mais antigos – não foge à regra. Nascido no Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Corte (CNPGC, Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande/MS), ele expandiu sem perder a missão e o desafio.

O programa é levado em trabalho conjunto da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Geneplus Consultoria Agropecuária; aliás, a conjunção já nasceu para gerar as condições ne cessárias à evolução e à eficiência da ferramenta de seleção genética. Vale lembrar que melhorar o que é bom e deter o status de referência é sempre muito difícil. Simples entender o porquê. Se tudo começou com alguns poucos touros, a cada entrada de um novo animal, característica a ser apurada ou um novo parâmetro qualquer de mensuração, a base de dados cresceu em progressão geométrica. Das dezenas iniciais, quase três décadas depois, tornaram-se milhões.

Atualmente, o Geneplus atende 450 criadores das diferentes raças de corte no Brasil, além de Bolívia, Paraguai, Uruguai e Estados Unidos. As raças atendidas estão divididas em zebuínas (Nelore nas variedades mocha e aspada, Guzerá e Brahman), taurinas (Caracu, Hereford e Senepol) e compostas (Brangus, Braford, Canchim e Santa Gertrudis). O número de características avaliadas depe...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!