Comércio Exterior

ACORDO MERCOSUL-UE

Tarifas serão eliminadas para frutas, fumo, óleos vegetais, café, peixes e crustácios. Carnes bovina, suína e de aves, açúcar, arroz, etanol, ovos e mel terão acesso ao mercado comum europeu por meio de quotas

Stefan Staiger Schneider*

Existe um claro entendimento nos países que integram o Mercado Comum do Sul (Mercosul) de que o bloco demorou para se integrar às cadeias globais de valor e que é necessário abri-lo ao mundo. A contrapartida é abrir o mercado interno dos seus países-membros (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai). O governo brasileiro sabe que isso é necessário e que haverá uma espé ACORDO MERCOSUL-UE Tarifas serão eliminadas para frutas, fumo, óleos vegetais, café, peixes e crustácios. Carnes bovina, suína e de aves, açúcar, arroz, etanol, ovos e mel terão acesso ao mercado comum europeu por meio de quotas Stefan Staiger Schneider* cie de choque de competição que servirá como mola propulsora para reformas domésticas que facilitem negócios.

Poderão ser exportadas pelo Mercosul 99 mil toneladas de carne bovina

O acordo entre o Mercosul e a União Europeia (UE), concluído em 28 de junho, em Bruxelas, está, agora, na etapa revisional. Enquanto ela costuma durar até dois anos na UE, a espera pode ser de quatro anos no Brasil e ainda maior ao considerar os demais países-mem bros. Depois, acontece a ratificação nos dois lados do Atlântico e, em seguida, a desgravação gradual de tarifas setor por setor nos dois mercados em cestas de cinco, dez e 15 anos.

Segundo Stefan Staiger, o acordo merece ser comemorado por todos

Por envolver mercados que competem entre si, especialmente no agronegócio, o acordo é altamente complexo. E, apesar dos portos precários e muito caros, das rodovias insuficientes em mal estado de conservação e da falta de uma rede ferroviária eficiente, o Brasil é um grande player no setor. A UE...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!