Feno & Silagem

A cultura do milho e os tipos de silagem

Feno

Vinicius A. Camargo*, Yago M. da Rosa**, Télis A. Cumbe***, Júlio O. J. Barcellos****

A silagem de milho é um dos principais componentes da dieta de bovinos devido à sua alta capacidade de produção de matéria seca e ao seu alto valor nutricional, quando comparada com outros materiais utilizados para produzir silagem. A busca pela melhoria na alimentação de bovinos e no aumento da eficiência demanda diferentes formas de produção de silagens, e utilizar um mate rial originado de uma mesma cultura agrícola, como é o caso do milho, pode ser uma estratégia.

Nesse sentido, este artigo aborda as principais formas de exploração da planta de milho para a produção de silagem (Figura 1, na página seguinte), considerando o local e o ponto de corte, sendo: silagem de planta inteira, corte alto, toplage (colheita da espiga e parte da planta), stalklage (apenas partes da planta), snaplage (grão, sabugo e a palha do milho), earlage (espiga sem a palha) e grão úmido.

A silagem de milho de planta inteira é a forma mais difundida na dieta de ruminantes, seja em confinamento ou em semiconfinamento. Isso se deve, primeiramente, ao potencial produtivo da planta de milho e, segundo, à oferta de energia e da qualidade da fibra, constituindo-se, em muitos casos, em uma dieta completa para os animais, dependendo de suas exigências nutricionais.

Além da qualidade bromatológica, essa forma de silagem permite custo baixo por tonelada produzida, justamente devido ao alto potencial de produção de forragem e da relativa facilidade do processo de ensilagem. Em relação à qualidade bromatológica da silagem de milho de planta inteira, ela é apenas limitada em proteína, como de resto quase todas as silagens ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!