Raças

Certificação que vale ouro

Raças

Angus fortalece processo de auditoria de carcaças e inova com selos que agregam valor à carne e à pecuária

Carol Jardine

O selo verde-amarelo que estampa o rótulo da Carne Angus Certificada produzida no Brasil carrega muito mais do que um atestado de qualidade e uniformidade de produção. A marca é resultado de um trabalho de mais de 100 anos de avanços genéticos do rebanho nacional e do engajamento de uma equipe de mais de 50 inspetores que operam em centenas de fazendas e em 40 unidades frigoríficas parceiras do Programa Carne Angus. Valorizar os conceitos que estão por trás dessa marca é o novo foco da Associação Brasileira de Angus, que prepara, para o segundo semestre deste ano, um projeto voltado à orientação do consumidor. O programa, que ainda está em finalização, deve reunir um conjunto de ações de ponto de venda, projetos digitais e eventos voltados à prática do assado, uma tendência cada vez mais forte entre os amantes da carne de qualidade. O start da ação será realizado já na Expointer deste ano, com a primeira edição do “Ô Churras Angus”, evento programado para o final da tarde de domingo, 25 de agosto, quando se espera reunir criadores e consumidores.

A proposta, frisa o presidente da Associação Brasileira de Angus, Nivaldo Dzyekanski, é explicar que é a chancela do Programa Carne Angus que garante qualidade. “Queremos mostrar ao consumidor que a qualidade que ele espera ao comprar um corte Angus está exatamente nos critérios que estão por trás do selo da Associação Brasileira de Angus.” O que acontece, explica ele, é que nem sempre toda a carne comercializada sob o nome Angus no varejo ou nas redes de restaurantes realmente tem a procedência auditada ou foi produzida e industrializada d...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!