Genômica

Slick: o gene da tolerância ao calor do Senepol

Genômica

A 12ª Feira Internacional dos Cerrados foi além das expectativas, tanto no volume de negócios como na mobilização dos produtores

José Fernando Garcia
Médico-veterinário, professor, pesquisador e consultor
(UNESP e AgroPartners)[email protected]

lUm dos “sonhos de consumo” acalentados por todo criador de bovinos é o de poder se-lecionar os melhores animais com base em informações 100% preci-sas, utilizando algum tipo de teste de DNA rápido que pudesse infor-mar qual o melhor animal dentro de um grupo de contemporâneos.

Infelizmente, isso ainda não é totalmente possível, pois os méto-dos utilizados para a seleção ofere-cem, na maior parte das vezes, um grau de precisão tão baixo que, em alguns casos, apenas a intuição e o “olho” do criador podem oferecer precisão similar àquela dos méto-dos consagrados de seleção. Sem contar com os custos e complexi-dades logísticas da implementação e da alimentação dos programas de melhoramento genético clássicos.

A sensação de “deixar passar” um ótimo animal em favor de um não tão bom é sempre um risco no processo de seleção, particular-mente no caso de características difíceis de medir, como resistência a doenças, tolerância ao calor e ca-pacidade de conversão do alimento em carne, por exemplo.

Os cientistas estão começan-do a identificar genes altamente relacionados com a manifestação de características específicas, os quais, ao serem caracterizados em detalhe, podem oferecer alternati-vas para a seleção dos animais que carregam a sua melhor forma (ale-lo) e, consequentemente, apresen-tam o melhor fenótipo.

Um caso que está se tornando clássico é o do gene Slick na raça Senepol. A raça Senepol foi criada no Car...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!