Parceria

Ganha-ganha

Em parceria com Banco do Brasil e Grupo Adir, Fazenda Conforto lança programa de integração que viabiliza antecipação de recursos a fornecedores de bezerros

Erick Henrique
[email protected]

A era das alianças mercadológicas vem contribuindo e muito para o desenvolvimento da agropecuária brasileira, e nesse projeto embrionário desenvolvido no município de Nova Crixás/GO, na região do Vale do Araguaia, não é diferente.

A proposta é simples e objetiva: com operações envolvendo cerca de 80 mil abates por ano, a Fazenda Conforto, do pecuarista e ex-piloto de stock car Alexandre Negrão, lançou, no dia 4 de abril, uma parceria com o Banco do Brasil e o Grupo Adir, onde dezenas de fornecedores poderão antecipar recursos e ter acesso facilitado a uma genética que pode render até 30% de bonificação.

O proprietário da Fazenda Conforto, Alexandre Negrão, comprou mais de 6 mil bezerros durante o evento

Parceria

Para tanto, foi realizado um “Dia de Compra” da Fazenda Conforto, reunindo mais de 300 pecuaristas de Goiás, estado que concentra grande parte dos fornecedores da propriedade. Durante o evento, mais de 6 mil bezerros foram adquiridos por meio deste novo sistema de integração, e para cada um, três doses de sêmen foram negociadas pelo Grupo Adir, totalizando 18 mil doses. “É o primeiro passo para tornar nossos fornecedores mais eficientes em produzir a carne de qualidade aos consumidores, o que deve impactar positivamente no melhoramento genético do gado produzido na região”, avalia Alexandre Negrão.

Os produtores que aderiram à parceria tiveram de apresentar as seguintes características nos bezerros desmamados: animais criados em região habilitada a exportar para União Europeia, com certificado de origem em propriedades que atendam todos os protocolos sanitários e nutricionais aplicáveis ao segmento, idade entre sete e nove meses e peso entre 180 e 240 kg (tolerância de até 5% entre 165 kg e 180 kg e de até 5% entre 240kg e 250kg). A parceria envolve bovinos meio-sangue também, todavia, no gado Nelore a genética precisa passar pelo Grupo Adir.

“A ideia do Negrão é melhorar a genética dos animais que ele compra para a recria a pasto e engorda no confinamento. Em contrapartida o produtor rural adquire a genética Adir numa condição extremamente favorável, com prazo de até 1 ano para quitar, taxa de 8,5%/ano ou, se preferir, pagamento em até três anos com taxa de 10%/ ano. Quando o criador vender o bezerro para a Conforto, no mesmo dia, ele terá a oportunidade de receber 70% do valor desse bezerro, com a possibilidade de financiamento de até 180 dias, com taxa de 8,5%/ano”, diz o diretor de agronegócio do Banco do Brasil, Marco Túlio Morais da Costa.

Ainda segundo o dirigente do BB, o produtor que participa dessa iniciativa sai com financiamento da genética para melhorar o ganho de carcaça e a qualidade do seu bezerro, fomentando uma melhor padronização do rebanho e, ao mesmo tempo, obtendo dinheiro adiantado na sua conta.

“Foi um momento único na bovinocultura de corte e nós estamos pensando agora fazer esse evento anualmente, pois é uma nova forma de comercialização. Além disso, o produtor pode escolher a genética dos nossos reprodutores por um preço promocional de R$ 28,00 a dose”, explica o diretor do Grupo Adir Paulo Leonel, que garante que esses produtos estarão aptos à cota Hilton.

De acordo com o selecionador, o Grupo Adir trabalha a pureza racial do Nelore com foco em um animal funcional e precoce ao abate. “Hoje, estão validando programas que não retratam a realidade da pecuária brasileira. Tanto é verdade que o dono do maior confinamento do Brasil falou sobre a despadronização do gado brasileiro. Isso porque falta o fator raça no rebanho”.