Sala de Ordenha

Forte alta no preço ao produtor

No pagamento realizado em fevereiro, que remunera o leite entregue em janeiro, foi verificado o segundo mês consecutivo de alta para o produtor.

A queda na produção desde dezembro de 2018 aumentou a concorrência entre os laticínios pela matéria-prima (leite cru).

Figura 1 – Preço do leite pago ao produtor, média nacional ponderada dos 18 estados pesquisados pela Scot Consultoria, em R$/litro, sem o frete, em valores nominais

Sala

Considerando a média nacional ponderada dos 18 estados pesquisados pela Scot Consultoria, o aumento foi de 4,1% no pagamento de fevereiro de 2019 – a maior alta desde julho do ano passado.

Na comparação com o mesmo período de 2018, o produtor está recebendo 15,3% mais neste ano em valores reais, ou 8,7% de alta descontando a inflação nos últimos 12 meses (IGP-DI).

Com relação à produção, o volume captado (média nacional) caiu 2,8% em janeiro de 2019, na comparação mensal, e, em fevereiro, a queda foi de 2,6%.

A produção de leite recuou no Brasil Central e nas regiões Sudeste, Norte e Sul. Nessas regiões, o pico de produção foi em meados de dezembro de 2018.

Somente no Nordeste do País as precipitações, em janeiro, refletiram em aumento da produção, mas as irregularidades nos volumes de chuvas em fevereiro voltaram a afetar a oferta de leite nos estados em questão, que caiu.

Para o pagamento a ser realizado em março de 2019, a maior parte dos laticínios nas regiões Sul, Sudeste e Norte apontam para alta para o produtor, no entanto, o ritmo ou a intensidade deverá ser menor que o verificado no pagamento de fevereiro.

Para aqueles laticínios que falam em manutenção no preço pago ao produtor, a questão principal está na dificuldade de evolução das cotações ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!