Na Varanda

Tinder – Uma ferramenta para a união dos pecuaristas?

Na

Francisco Vila é economista e consultor internacional [email protected]

N ão sabe o que é Tinder? Não importa. Eu também não sabia. E, para descobrir, sugiro consultar os filhos ou netos adolescentes, pois são eles que gostam dessas novidades tecnológicas para se divertir. Podemos encontrar uma definição mais técnica desse assunto no Google: um aplicativo de relacionamento que já conseguiu promover 20 milhões de encontros no Brasil – ou seja, quatro vezes mais do que o número total dos produtores rurais. Trata-se de promover encontros geolocalizados. Segue o convite padrão que consta na internet: “Conheça pessoas novas em busca de relacionamento sério. Faça o cadastro grátis!”. Provavelmente, trata-se de encontrar parceiros para a vida. Seja lá o que isso significa.

Mas o que isso tem a ver com o nosso boi? Recentemente, recebi uma mensagem no WhatsApp informando o seguinte: “Tinder para o boi é lançado na Inglaterra e já conta com 42 mil fazendas!”. Fiquei curioso e fucei para ver o que seria essa plataforma de namoro para vacas. Até a agência internacional de notícias econômicas Bloomberg comentou que o Tunder (o nome que foi criado para os bovinos para evitar confusão com o Tinder humano) serve para promover moo love entre touros e vacas interessados em se conhecer. Já que o gado anglo-saxônico não deve ser muito mais inteligente que os nossos, suponho que o mecanismo de busca otimizada de parceiros para o cruzamento seja manobrado por humanos – no caso, provavelmente pelo filho ou pela filha do produtor rural. Ao mexer com o mouse na tela, aparecem fotos, informações biográficas, peso, idade e localização da fazenda ou do pretendente. De repente, o pecuarista pode escolher entre mil...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!