Caindo na Braquiária

Espora de Prata

Caindo

Inicia-se o ano, e “caímos na braquiária” a fim de conhecer projetos pecuários interessantes e, quem sabe, poder colaborar no campo da genética com algumas sugestões relativas a raças e touros a serem usados em cada sistema.

Dessa vez, estava acompanhado pelos veterinários Ademir Ribeiro e Ruiter de Sousa Franco, além do agrônomo Sidson Guerra, os quais prestam serviço, respectivamente, na área de nutrição, reprodução bovina e pastagens na região de Porto Velho, cidade banhada pelo majestoso Rio Madeira, tornando-se a capital de Rondônia em 1943. Programamos algumas visitas a fim de conhecer importantes fazendas assistidas por eles.

Tão logo saímos do aeroporto de Porto Velho, rumamos para Ariquemes, cidade que dista 200 quilômetros da capital sentido Sul do estado. Após um cochilo de alguns minutos nos braços de Morfeu, acordei enquanto passávamos por mais uma das diversas pisciculturas instaladas na região. De um lado, observava uma fazenda de peixes, e, do lado oposto, uma inimaginável (até poucos anos atrás) lavoura de soja.

A fazenda escolhida pelos técnicos para que pudesse conhecer foi a Espora de Prata, localizada no pequeno município de Rio Crespo, sendo de propriedade da família do Ademir, o qual implantou, há dois anos, o programa “touro zero”. O próprio nome denota o sistema reprodutivo do rebanho, ou seja, 100% das fêmeas são inseminadas através da IATF (inseminação artificial em tempo fixo), sendo a totalidade das novilhas ressincronizadas até duas vezes com sêmen de touros Angus americanos provados.

O sistema de cruzamento adotado pela Espora de Prata foi o terminal com três raças e tem como particularidade a reposição de fêmeas do rebanho. Buscando eficiência máxima, Ademir garante a reposição de matrizes compr...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!