Sala de Ordenha

PREÇOS EM ALTA

Os preços do leite ao produtor subiram no pagamento de janeiro de 2019 (referente à produção de dezembro de 2018) depois de quatro meses em queda.

Considerando todos os estados pesquisados pela Scot Consultoria (média nacional ponderada), o aumento foi de 1,7%, frente ao pagamento anterior.

Com isso, em 2018, o preço médio pago ao produtor subiu 4,5% frente a 2017, em valores nominais. Isso significa uma pequena valorização real se considerarmos a inflação do ano passado, de 3,75%, segundo o IPCA.

A alta em janeiro foi reflexo da produção de leite em queda nas principais bacias leiteiras do País e da maior concorrência entre as indústrias pela matéria-prima. Os preços subiram também no mercado spot e no atacado e varejo de produtos lácteos em janeiro e fevereiro deste ano.

Figura 1 – Cotação média nacional ponderada do leite ao produtor – em R$/litro, valores nominais

Sala

No Brasil Central e no Centro-Sul, o pico de produção foi nas primeiras semanas de dezembro de 2018. De lá para cá, o volume médio de leite captado por dia vem diminuindo. Segundo o Índice Scot Consultoria de Captação de Leite, a produção nacional diminuiu 2,2% em janeiro de 2019, segundo os dados parciais.

O clima adverso no final de 2018 e nas primeiras semanas de janeiro agravaram essa situação, especialmente no Sul do País, onde tivemos falta de chuvas, por exemplo, no Paraná e em Santa Catarina, e excesso de chuvas em algumas áreas do Rio Grande do Sul.

No Nordeste, as precipitações ainda não foram suficientes para aumentar a produção.

Expectativas

Para o pagamento a ser realizado em fevereiro de 2019, que remunera a produção entregue em janeiro de 2019, 56% dos laticínios pesquisados pela Scot Consultoria acreditam em alta no preço do leite, e os 44% restantes falam em manutenção em relação ao pagamento anterior.

O viés no mercado do leite é de alta em curto e médio prazos, levando em conta a queda prevista na produção nos próximos meses.

No entanto, reforçamos que a demanda será um fator determinante na intensidade dessas altas nos preços do leite e derivados no primeiro semestre de 2019.

Para março, o movimento de alta ganha força em boa parte do País, exceto na região Nordeste, onde espera-se um cenário de maior oferta de leite, com as chuvas melhores nesse período na região.

Rafael Ribeiro de Lima Filho, zootecnista Scot Consultoria