Especial Avaliação Genética

Referência internacional

ANCP é uma das herdeiras naturais dos trabalhos pioneiros do nelorista Arnaldo Zancaner e do professor Warwick Kerr

Adilson Rodrigues [email protected]

Esta edição da Revista AG que o leitor tem em mãos é especial, não só pelo destacado conteúdo selecionado para seu deleite no mês de março, mas também pelo fato de estrear um novo espaço, no qual serão apresentados os principais programas de avaliação genética do Brasil. Tais programas gozam de um crescimento robusto nos últimos 20 anos e passaram a ser referência na valorização de preços na comercialização de touros.

O primeiro da série é a Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP). Como a própria nomenclatura sugere, é assim chamada em virtude de abrigar tanto membros do corpo acadêmico quanto pecuaristas, desde a sua origem. A história da ANCP confunde-se com o surgimento da avaliação genética no País.

Isso porque, nos idos de 1968, o geneticista de renome internacional, o professor doutor Warwick Kerr, então chefe do departamento de Genética da Universidade de São Paulo (USP), iniciava os trabalhos de análises estatísticas para Arnaldo Zancaner, criador pioneiro nas pesagens de animais Nelore PO para análise de Diferenças Esperadas na Progênie (DEP), uma experiência que ele havia conhecido nos Estados Unidos.

O maior fruto dessa parceria foi a criação, em 1988, do Programa de Melhoramento Genético da Raça Nelore (PMGRN), ainda hoje existente, mas rebatizado de Nelore Brasil; entretanto, alguns o conhecem pelo nome antigo. Em 1995, nasce, oficialmente, a ANCP, fundada pelos professores Raysildo Barbosa Lobo, estagiário na Fazenda Bonsucesso, de Zancaner, na década de 1980; Luís Bezerra; Francisco Duarte; e Cláudio Magnabosco, pesquisador da Embrapa Cerrados.

Esse era apenas o time de pesquisadores, os quais ainda formavam parceria com o fundado...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!