Caprinovinocultura

TRABALHO DEDICADO À GENÉTICA

Fazenda Portão Vermelho, em Castro/PR, é referência em animais de qualidade, resultado de mais de três décadas de atenção ao melhoramento do rebanho

Denise Saueressig
[email protected]

O investimento em animais de excelência genética é a prioridade do criador Taeke Greidanus há mais de 30 anos na Fazenda Portão Vermelho, em Castro/PR. A decisão de trabalhar com a ovinocultura foi tomada em 1985, quando ele era produtor de grãos e também dono de uma revenda de máquinas agrícolas. “A inflação no Brasil estava em 45% ao mês, e percebi que seria muito difícil conseguir manter os negócios diante da situação da economia. Então resolvi mudar de rumo e passei a me dedicar, aos poucos, ao rebanho”, conta.

Alguns animais foram adquiridos no Rio Grande do Sul, e a primeira importação, em 1990, foi de animais da raça Texel oriundos da Holanda. Em 2000, foi a vez de trazer ovinos Dorper da África do Sul. “Ao longo dos anos, buscamos o aprimoramento constante do plantel de cada raça e participamos de uma série de exposições”, relata Greidanus.

Nessas mais de três décadas de história, muitos prêmios foram conquistados pelo criatório em eventos realizados em diferentes regiões do País. Hoje, no entanto, o produtor diz que prefere eleger exposições mais próximas de casa, já que a participação envolve altos custos com deslocamento.

Para viajar muitos quilômetros por estradas nem sempre em boas condições, Greidanus adaptou um ônibus para o transporte dos animais. “Construímos as baias, e o ambiente é arejado, proporcionando mais conforto e bem-estar”, detalha. Ainda que a ida às feiras tenha diminuído de frequência, o veículo continua como meio de transporte, tanto para os eventos quanto para as propriedades de destino dos animais vendidos.

A comercialização é realizada principalmente por canais via internet e diretamente...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!