Exposições

Genética valorizada

Exposições

Apesar de recuo na comercialização, criadores destacaram a qualidade dos animais na Expointer, realizada em Esteio/RS entre 25 de agosto e 2 de setembro

A Expointer, tradicional feira agropecuária realizada no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS, movimentou R$ 10,27 milhões com a venda de animais. O resultado foi 3,6% inferior ao registrado no ano passado. Participaram da feira 4.247 exemplares de 145 raças. O número cresceu 32% devido ao retorno da exposição de aves, o que, em 2017, não aconteceu devido à ameaça da gripe aviária.

A 41ª edição da mostra de Esteio foi realizada entre os dias 25 de agosto e 2 de setembro. No total, os negócios realizados no evento tiveram incremento de 13% sobre 2017, em um montante de R$ 2,3 bilhões, segundo balanço divulgado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul. As empresas de máquinas agrícolas responderam por R$ 2,28 bilhões entre vendas efetivadas e encaminhadas. O volume é 18,8% acima do que foi registrado no ano passado.

O resultado positivo pode ser creditado, entre outros fatores, à expectativa de uma grande safra de grãos e aos preços atrativos das commodities. “No caso do segmento de máquinas, percebe-se que o acréscimo está diretamente relacionado à visão de investimentos para o futuro”, afirma o secretário da Agricultura, Odacir Klein. Outro destaque da Expointer 2018, indica o secretário, ficou por conta das agroindústrias de produtos coloniais. O Pavilhão da Agricultura Familiar contabilizou crescimento de 40,3% nas vendas, em um total de R$ 4 milhões. Neste ano, o espaço destinado a esses produtores foi ampliado em mais de 40% e contou com 285 expositores.

Avanço em qualidade
Se, por um lado, os números contabilizados com a venda de animais apresentaram recuo, por outro, os representantes da cadeia valorizaram os atributos dos exemplares expostos e levados a julgamentos e a leilões. Para o presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Sistema Farsul), Gedeão Pereira, justamente a qualidade genética dos animais é considerada um dos aspectos positivos dessa Expointer. O dirigente ainda aponta como destaques o incentivo ao avanço tecnológico e o ambiente propício para o debate de pautas de natureza político-econômica. Durante a feira, lembra Pereira, houve a visita de cinco candidatos à presidência da República. Todos receberam um documento contendo dez medidas da Farsul que apontam desafios enfrentados pelo setor e alternativas para melhorias.

Sucesso da Vitrine da Carne
No Salão do Empreendedor, uma iniciativa do Programa Juntos para Competir, da Farsul, do Sebrae e do Senar, uma das atrações mais concorridas foi a Vitrine da Carne Gaúcha, que, há 11 edições da Expointer, tem o objetivo de valorizar a carne produzida no Rio Grande do Sul apresentando ao público técnicas empregadas para o melhor aproveitamento do produto, como métodos de desossa de carcaças de ovinos, suínos e bovinos, além de sugestões de preparo. As dinâmicas realizadas durante a feira reuniram mais de 1,7 mil pessoas.

Pista limpa
A XIV Feira de Novilhas e Ventres Selecionados manteve o histórico de “pista limpa” durante a Expointer. Todos os 468 animais foram comercializados com um faturamento total de R$ 572,26 mil. O leilão é realizado em parceria entre Farsul, Santa Úrsula Remates e Associação Brasileira de Angus, com o apoio da Secretaria da Agricultura do RS. O presidente da Comissão de Exposições e Feiras da Farsul, Francisco Schardong, considerou o evento um sucesso, especialmente por ser um período pouco favorável à pecuária. Segundo ele, a comprovação está nos valores médios do leilão. As novilhas prenhas registraram R$ 4,87 por quilo; as novilhas, R$ 4,74; e as terneiras, R$ 4,95.

Índices bioeconômicos
A Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC), por meio do Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (Promebo), lançou, durante a Expointer, o novo Índice Bioeconômico de Carcaça (IBC). O indexador, desenvolvido em parceria com a Embrapa Pecuária Sul, é a grande novidade dos Sumários de Touros 2018/2019. O novo índice permite avaliação de desempenho dos reprodutores quanto à capacidade de produzir descendentes com alta probabilidade de enquadramento em programas de carne premium e, por consequência, maior remuneração pela indústria frigorífica. Para isso, o programa deu início à avaliação de descendentes puros e, em um futuro próximo, analisará animais meio-sangue. “É uma mudança no conceito de melhoramento, com viés mais voltado para os ganhos econômicos dentro e fora da porteira. Esses indexadores são o futuro da pecuária nacional”, considera o presidente da ANC, Ignacio Tellechea. O projeto terá início com animais Angus e Brangus, mas a meta é estender a ação a todas as raças que têm seus rebanhos avaliados pelo Promebo.

Diversidade
A Expointer é realizada em uma estrutura de 141 hectares, na qual a diversidade de atividades é a grande atração. Julgamentos, provas e leilões de animais de diferentes espécies, e estandes de fabricantes de máquinas agrícolas de alta tecnologia dividem espaço com soluções e serviços voltados a produtores de todos os perfis. No total, 5,9 mil expositores estiveram presentes na mostra, que ainda foi palco de palestras técnicas, oficinas e debates sobre temas de interesse das cadeias que formam o agronegócio. Nos nove dias de evento, cerca de 370 mil pessoas circularam pelo Parque Assis Brasil.