Entrevista do Mês

O poder da informação!

Entrevista

Em apenas um minuto, o pecuarista pode mudar o mercado do boi gordo no Brasil. É esse patamar que o Grupo Pecuária Bauru (GPB) – que, praticamente, trocou “Bauru” por “Brasil” em sua sigla – deseja alcançar em breve. Para conhecer a história do grupo e apresentar o balizador de preços GPB, ouvimos o pecuarista, coordenador e presidente Oswaldo Furlan Júnior.

Adilson Rodrigues
[email protected]

Revista AG – A classe pecuarista tem a fama de ser desunida. O GPB tenta provar o contrário?

Oswaldo Furlan Júnior – Sentíamos falta de um grupo voltado exclusivamente para a pecuária, e assim foi feito o GPB, em 2014. Começamos aqui em Bauru/SP e, hoje, estamos com 58 grupos de WhatsApp e três outros no Telegram, totalizando 10 mil produtores. Fizemos muito trabalho em prol da pecuária no decorrer desses quatro anos, o que vai muito além de promover a união da classe. Sentimos necessidade de alguém para nos representar. Entidades de agricultura e pecuária, sindicatos rurais e até a própria CNA não têm feito esse trabalho tão importante de levar ao produtor informações técnicas, novos mercados, e, principalmente, de apoiar o pecuarista no momento de comercializar seus animais. As principais bandeiras do GPB são acompanhar os negócios realizados da arroba do boi gordo, vaca e novilha em tempo real, por meio do balizador de preços; levar o máximo possível de conhecimento ao produtor, trabalho que funciona com ajuda de um comitê técnico pelo qual convidamos pecuaristas a participarem de eventos técnicos gratuitos; e também vamos lançar, em São Paulo, a balança do produtor. Isso é algo que existe só em Goiás e no Mato Grosso por enquanto, e vai garantir o peso de ab...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!