Entrevista do Mês

Protagonistas da eficiência animal

Entrevista

O Brasil forma cerca de 3 mil zootecnistas por ano, um profissional presente não apenas em fazendas. Para relatar um pouco sobre os desafios da profissão, convidamos o professor Ronaldo Lopes de Oliveira, coordenador de Zootecnia e Recursos Pesqueiros da Fundação Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior), subordinada ao Ministério da Educação.

Adilson Rodrigues [email protected]

Revista AG – Quantos zootecnistas existem, hoje, no Brasil e em quais regiões estão mais concentrados?

Ronaldo Lopes de Oliveira – Já temos formados em torno de 35 mil zootecnistas, e outros 17 mil estão estudando nas universidades de Zootecnia. Formamos, então, uma média de 3 mil profissionais dessa área por ano. Os cursos estão presentes em todo o País, mas a grande concentração está nas regiões Sudeste e Sul.

Revista AG – A profissão de médico-veterinário é centenária, enquanto a de zootecnista foi regulamentada há apenas 50 anos. Quais são os desafios da profissão?

Ronaldo Lopes – O País ganhou uma eficiência invejável e pujante a partir dos anos 1980. Há mais de 20 anos, reconhecemos o agronegócio como o pilar da economia nacional, do qual boa parte diz respeito à produção animal, exatamente a área de atuação do zootecnista. Passamos por um aumento de 13 cursos de Zootecnia, no início dos anos 1990, para mais de 100 atualmente. Os desafios são muitos, e o primeiro é formar bons profissionais. Pensar no posicionamento deles no mercado, se serão trabalhadores assalariados, líderes em grandes empresas ou empreendedores. O papel de cada um é conhecido na instituição que o forma. O próximo desafi...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!