Caprinovinocultura

O desafio do consumo

Caprinovinocultura

Carne ovina não é opção frequente entre os brasileiros, mas pesquisas demonstram que mercado pode ser trabalhado com mecanismos de adequação ao consumidor

Denise Saueressig
[email protected]

Num cenário doméstico dominado pelos cortes bovinos, suínos e de frango, a ampliação do consumo de carne ovina representa um desafio importante para a cadeia brasileira. O mercado tem potencial, considerando uma população de mais de 200 milhões de habitantes, mas os números revelam a grande distância em relação às outras proteínas. Para se ter uma ideia, o consumo per capita de carnes de frango, bovina e suína soma 44,8 kg, 32,5 kg e 14,1 kg, respectivamente. Já o consumo da carne ovina é estimado em apenas 400 gramas por pessoa/ ano, segundo a Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco).

Pesquisas realizadas para entender o pensamento e a preferência do consumidor revelam informações interessantes que podem servir como subsídios para uma maior aproximação das pessoas com o produto. Entre as conclusões de estudos realizados nos últimos anos está a dedução de que boa parte do público tem desconhecimento sobre o alimento. “Uma parcela dos consumidores também relata que a carne tem sabor e aroma muito intensos, e indicam a pouca oferta em pontos de venda tradicionais”, destaca a pesquisadora Élen Nalério, da Embrapa Pecuária Sul.

Mesmo no Rio Grande do Sul, onde a ovinocultura é atividade tradicional, a carne ovina costuma ser mais lembrada para os churrascos do final de semana ou para a elaboração de pratos em datas festivas. Segundo Élen, uma informação importante para o desenvolvimento de estratégias de marketing voltadas à cadeia é a conclusão de que a maioria das pe...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!