Sobrevoando

Rebanho

Toninho Carancho
[email protected]

Muitas vezes agimos como um rebanho. Quando nos damos conta, lá estamos nós repetindo coisas, fazendo e executando tarefas muitas vezes sem pensar, só repetindo o que todos fazem.

Uma ovelha pula pra lá, e lá vão todas atrás. Outra pula pra cá, e lá vão elas de novo.

E nós também. Vou dar um exemplo que me ocorreu nesses dias.

Eu estava no Agrishow, sobrevoando por lá quando me dei conta de algumas coisas. Porque esta e outras feiras agrícolas são feitas nesta época do ano (colheita da safra de verão)? Porque tanto o Agrishow quanto seus filhotes (Show Rural Coopavel, Expodireto Cotrijal, Tecnoshow Comigo, Farm Show de Primavera do Leste, Bahia Farm Show etc.) tinham como propósito inicial serem feiras “dinâmicas” em que o visitante teria o contato direto com as máquinas colhendo e fazendo o seu serviço de campo. Acontece que com o passar dos anos a parte dinâmica das feiras foi ficando cada vez com menos importância até chegando a ser insignificante. Ninguém (quase ninguém) quer ver mais as máquinas trabalhando em um calor senegalês, com muita poeira etc. Quem viu uma vez não vai ver no outro ano. Ou seja, um dos grandes porquês de fazer as feiras nesta época de colheita foi por água abaixo. Mas todas essas feiras e muitas outras se acotovelam por datas neste período do ano e depois ficamos com grande espaço de tempo sem ter feira alguma, estando a Expointer em grande destaque em finais de agosto. Ou seja, as feiras na época da colheita estão indo como um rebanho, quando poderiam escolher outras datas do ano e reinarem sozinhas.

Outro questionamento é quanto ao horário dessas feiras. Como elas foram criadas como um contraponto das feiras pecuárias tradicionais, que tinham público somente no final de tarde e a noite, muitos shows de música, parque de diversões, bebida alcoólica e tudo o mais, a ideia foi fazer tudo ao c...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista AG, clique Aqui e Assine Agora!