O Confinador Ajuste

CUSTOS SOBEM EM SP E GO

Projeto idealizado pelo Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE) da Universidade de São Paulo, a quarta edição do Informativo Mensal do Índice de Custo de Produção de Bovinos Confinados (ICPBC) mostra que setembro é o segundo mês consecutivo de aumento no custo de produção do confinador em São Paulo e Goiás.

Os custos das diárias aumentaram 3,26%, 2,95% e 2,98% para os confinamentos de São Paulo médio (CSPm), grande (CSPg) e de Goiás (CGO), respectivamente. São Paulo vinha de uma diminuição nos custos enquanto o confinador de Goiás já gasta mais há dois meses, conforme se pode observar no Gráfico 1.

Gráfico 1 - Variação dos índices de custos entre os meses

O

Contribuindo para o aumento dos custos em São Paulo, as tarifas de energia elétrica subiram 11%. Nos dois estados, o preço do milho grão subiu novamente, registrando aumento médio de 11%. Entretanto, a alta observada nos custos de produção ainda é inferior ao divulgado no mês de abril deste ano.

Tabela 1 - Comparativo de custos da diária-boi (CDB) entre os meses

O

A análise do mês de setembro indicou que os custos totais (CT) por arroba para os confinamentos de São Paulo médio (CSPm), grande (CSPg) e de Goiás (CGO), foram de R$ 134,44, R$ 132,45 e R$ 128,94, respectivamente, como pode ser obervado na Tabela 2.

Tabela 2 - Coeficientes técnicos produtivos das propriedades representativas

O

O método de alocação dos custos contempla quatro categorias: 1) sição de animais e despesas relacionadas); 2) custos semifixos (energia elétrica, telefonia e combustíveis); 3) custos fixos (mão de obra, depreciações e manutenções); e 4) renda dos fatores (juros sobre o capital de giro e sobre o capital próprio).

O ICBC ouve dez confinamentos do estado de São Paulo e nove de Goiás. Os coeficientes técnicos levantados são descritos na Tabela 2, os quais serão atualizados regularmente. Para receber o informativo ou ser informante, cadastre-se pelo e-mail [email protected]sp.br.