Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

REPRODUÇÃO

Requisitos para a execuçãodo programa IATF

A IATF (Inseminação Artificial a Tempo Fixo) é um programa de tratamento hormonal desenvolvido para corrigir as limitações da inseminação artificial (I.A.) convencional, além de agregar várias outras vantagens. A IATF elimina a necessidade de observação de cios (um dos principais problemas da I.A.), além de permitir a inseminação de animais em anestro, por induzi-los à ciclicidade. O resultado desse programa é o aumento de animais nascidos por inseminação e a diminuição do intervalo entre partos, tudo isso facilitado pela possibilidade de realização de um trabalho agendado e de curta duração.

A IATF é um avanço importante porque une o melhoramento genético com a produção em escala. Contudo, para implantação dessa técnica, é necessário uma organização da propriedade e estabelecimento de alguns requisitos mínimos de trabalho. A fazenda necessita de uma estrutura adequada, em especial alimentação, mineralização, qualidade de água e uma boa divisão de piquetes para as diferentes categorias de animais (lotes de vacas paridas por época de nascimentos, separação entre primíparas e multíparas, entre outros). Quando se trabalha com grupos homogêneos, além de facilitar o manejo dos protocolos IATF, há uma melhora dos resultados devido ao atendimento de requisitos específicos de cada categoria. Currais funcionais e eficientes, troncos para manejo rápido, adequada área de trabalho e treinamento da mão-de-obra também são fundamentais ao sucesso desses programas.

Com estes tópicos estruturais já equalizados, agora vamos abordar outros pontos mais específicos que devem ser considerados antes do início do programa IATF, sendo os mais importantes comentados a seguir:

1 – Escore de Condição Corporal e Nutrição do Rebanho

O estado corporal tem uma influência direta sobre a fertilidade, uma vez que os nutrientes se orientam primeiro para manter a vida da vaca e do bezerro ao pé, só então sendo disponibilizados à reprodução da espécie. Por essa razão, as novilhas e vacas, para entrar no programa, devem apresentar um escore corporal mínimo de 2,5 (escala de 1 a 5) e estar em balanço energético positivo. Antes de se começar o programa IATF, é importante avaliar previamente o escore das fêmeas e se a fazenda terá capacidade de alimentá-las, de maneira que não percam peso por, no mínimo, 60 dias após a inseminação, pois esse é o período crítico para o estabelecimento da gestação.

2 – Condição Sanitária do Rebanho

A saúde, junto com a alimentação e a reprodução, forma a base de sustentação da atividade pecuária (fig. 1), interferindo diretamente na produtividade da fazenda. Figura 1 – A produtividade da fazenda é o equilíbrio entre a nutrição, sanidade e reprodução.

Por essa razão o criador precisa ficar atento ao controle sanitário do seu plantel. De maneira geral, podemos citar afecções importantes como as parasitoses (vermes, carrapatos e moscas), as doenças reprodutivas (Brucelose, Leptospirose, IBR, BVD, etc.) e problemas de cascos e mastites, além de outros fatores que prejudicam direta ou indiretamente a reprodução. Investimentos em programas de controle sanitário devem ser prioritários na fazenda, caso contrário se colocarão em risco todos os investimentos em outras áreas.

3 – Manejo e Execução do Programa IATF

A técnica da IATF consiste no controle do ciclo estral das fêmeas por meio de fármacos específicos. Com isso, controlamos o momento da ovulação e estabelecemos o melhor horário para a inseminação artificial. Sendo assim, o programa IATF é uma cascata de eventos cujas etapas precisam ser bem executadas. Alguns pontos a seguir são os requisitos necessários para o manejo e execução da IATF:

l Aplicação dos fármacos nos horários estipulados pelos protocolos IATF;

l Correta dosagem dos fármacos e via de aplicação;

l Manipulação dos produtos quanto à higiene e recomendações de armazenamento e conservação;

l Identificação dos animais para evitar equívocos nas aplicações Figura 2 – Para controlar o que acontece com os animais, a identificação (seta vermelha) é fundamental.

l Anotação em planilhas de todas as etapas do processo, estabelecendo um histórico de cada animal (planilha 1, pág. seguinte);

l Infra-estrutura adequada para inseminação (currais e troncos);

l Funcionários capacitados, com adequada carga de trabalho para evitar pressa nos procedimentos e erros na execução do programa.

4 – Qualidade do sêmen

O sêmen, fresco, refrigerado ou congelado, é 50% responsável pela formação do embrião e também necessita de toda a atenção no programa IATF. Assim, cuidados com transporte, armazenamento, origem, processamento (congelamento e descongelamento) e manipulação são importantes para não comprometer os resultados do programa.

Figura 3 - Efeito do método de descongelamento na integridade do sêmen bovino. A correta manipulação interfere diretamente na qualidade do sêmen (Uberlândia, 2007).